.posts recentes

. Fotos Open da Austrália

. Open da Austrália - foto ...

. Open da Austrália já em a...

. Entrevista a Coria - 3ª p...

. EUA conquistam "saladeira...

. Breves da última semana

. US Open - Dia 3 em imagen...

. Montréal - Melhores encon...

. Wimbledon - Bons momentos

. Wimbledon - Dia 5 em imag...

.arquivos

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.pesquisar

 

.links

Domingo, 3 de Fevereiro de 2008

Fotos Open da Austrália


Aproveitando uma selecção de fotos diárias feita pelo jornal Marca, escolhi algumas que retratam momentos vividos durante este Open da Austrália, no que concerne ao quadro masculino deste primeiro Grand Slam da temporada.



O assustador Andy Murray faz esta linda figura quase sempre que executa um golpe de serviço.



Marat Safin parece executar um golpe de magia. Onde está o braço do russo?



Sempre muito expressivo, o cipriota Marcos Baghdatis tem lugar cativo numa selecção de fotos de qualquer evento.



Mesmo com o sol a incomodar, não houve quem quisesse perder pitada. Este ano, bateu-se novamente o recorde de afluência de público, com cerca de 600 mil pessoas a passarem pelos courts do Melbourne Park.



Youzhny numa grande demonstração de agilidade. O russo só foi parado pelo francês Tsonga, em encontro dos quartos-de-final.



A famosa resposta de Novak Djokovic fez muita mossa ao longo do torneio. Que o diga Roger Federer...



Finalista na edição transacta, Gonzalez teve sempre muito público a apoiá-lo nas bancadas, mas não foi capaz de passar da terceira ronda este ano.



Onde é que ela anda? Roger Federer pareceu um pouco perdido neste Open da Austrália, caindo nas meias-finais 11 torneios do Grand Slam depois...(perdera com Rafael Nadal nessa fase, em Roland Garros'05)



Luís Horna brinca com a raquete. O peruano passou ao lado deste torneio.



Jo-Wilfried Tsonga foi o grande animador do evento. A empatia criada com o público ajudou a catapultá-lo para a final, mas, num dia de menor inspiração, foi domado por Novak Djokovic.



Andy Roddick depositava grandes esperanças neste primeiro Grand Slam de 2008. No entanto, o norte-americano não foi capaz de ultrapassar Philipp Kohlschreiber, dando largas à sua frustração.



Roger Federer ao serviço, perante o olhar atento do público presente na Rod Laver Arena.



Marcos Baghdatis foi embora mais cedo do que o previsto. O cipriota caiu às mãos de Lleyton Hewitt, o favorito da casa.



Nada nem niguém escapa às imitações de Djokovic...



A garra de Rafael Nadal não foi suficente para conquistar o torneio. Naquele dia, era quase impossível alguém vencer Tsonga. Ainda assim, o maiorquino aproximou-se de Federer na luta pelo poleiro do circuito ATP.



James Blake e a sua famosa esquerda. O norte-americano igualou a sua melhor marca em torneios do Grand Slam, mas, após 24 disputados, continua sem atingir uma única meia-final.



Novak Djokovic na celebração da vitória sobre Roger Federer, perante o efusivo público sérvio. Esse encontro escancarou-lhe a porta para a conquista do seu primeiro título do Grand Slam.



Mikhail Youzhny e a habitual saudação após cada vitória.



Novak Djokovic foi a estrela da companhia. O sérvio ergueu o troféu com um sorriso estampado no rosto.



A família Djokovic uniu-se em prol do filho mais velho. Marko e Giorgio, mais novos, conseguirão imitar "Nole" num futuro próximo?

publicado por Morais às 18:51
link do post | comentar | favorito
Sábado, 19 de Janeiro de 2008

Open da Austrália - foto do dia 4




No duelo emocionante entre Marat Safin e Marcos Baghdatis, foi este quem levou a melhor, "correndo" para a terceira ronda do Open da Austrália. O cipriota venceu por 6-4, 6-4, 3-6, 2-6 e 6-2.


publicado por Morais às 00:39
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 14 de Janeiro de 2008

Open da Austrália já em andamento


Imagem da renovada Rod Laver Arena, palco principal deste tornsio do Grand Slam

Começou há já alguns minutos o Open da Austrália, primeira prova do Grand Slam da temporada de 2008. Este ano com a imagem renovada, graças à mudança de piso e respectiva cor (para Plexicushion azul), e com os quadros mais fortes dos últimos anos, a prova promete ser mais emotiva e espectacular ainda. É grande a expectativa em torno da forma que apresentarão os tenistas de topo que agoram retomam a actividade e do aparecimento de alguma cara nova, potencial revelação da temporada corrente. Na prova masculina, Roger Federer é o crónico grande candidato a um título que defende, mas a concorrência é muito forte e a sua metade de quadro -inclui Djokovic, Nalbandian, Baghdatis, Berdych, Safin e Hewitt, entre outros- bem mais complicada que a do espanhol Rafael Nadal -inclui Murray, Davydenko e Roddick-, também ele favorito ao triunfo neste evento australiano. Uma questão interessante reside no facto de, pela primeira vez, Nadal poder terminar uma prova como número um mundial, dado que o suíço, líder da hierarquia masculina, defende 1000 pontos neste evento e o maiorquino apenas 250, sendo que a diferença pontual entre ambos no ranking se cifra nos 1400 pontos. Improvável, mas possível. Já na prova feminina, apesar de ser Serena Williams a detentora do título, todas as atenções estarão centradas na belga Justine Henin, ausente na edição transacta. A belga é líder incontestada do ranking feminino e, sem dúvida, a que melhores atributos apresenta para atingir a vitória final. No entanto, terá de estar muito atenta, não só a Serena como também à sua irmã Venus e, entre outras, às russas Maria Sharapova e Svetlana Kuznetsova, à regressada Lindsay Davenport (perdeu apenas um dos 17 encontros que disputou depois de ser mãe) ou às sérvias Ana Ivanovic e Jelena Jankovic. Muito e bom ténis em perspectiva para as próximas duas semanas deste evento de categoria máxima, que oferece mais de 12 milhões de euros em prémios monetários, repartidos equitativamente pelos torneios masculino e feminino.

p.s.: artigo publicada no site Livre Indirecto

publicado por Morais às 01:15
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 4 de Janeiro de 2008

Entrevista a Coria - 3ª parte


Nesta última parte da entrevista realizada pelo site Fue buena a Guillermo Coria, o argentino responde a algumas (poucas) questões sobre o seu irmão mais novo, Federico, de 15 anos, que começa agora a apostar no circuito mundial júnior.

 


- Fantástica experiencia a que viveu o teu irmão: aos 15 anos, treinar com o Safin, em Valencia.


- O meu irmão anda muito feliz, porque adora o ténis. Desfruta dos treinos, ainda que com o sacrifício de estar quase só em Buenos Aires. Para a minha família é difícil ver outro membro começar a viajar com frequência. Este ano começou a treinar com o Hernán (Gumy) e continua com o Roberto Alvarez, que lhe deram a mão. A ideia é desenvolvê-lo este ano e levá-lo a torneios para o próximo. Treinar com o Safin e com outros quarenta jogadores na Academia e ombrear com profissionais e rapazes da sua idade é algo que o ajudará a crescer muito. Veremos se chega, mas condições tem.


 


- Qual é o estilo dele?


- As pancadas são muito parecidas com as minhas. A esquerda a duas mãos, a preparação da direita, mas fisicamente é mais alto e mais forte, como os rapazes de agora, que tendencialmente são mais crescidos. Com ele nunca falo de ténis. Às vezes lá me desafia para um tie-break e nota-se que está a evoluir muito rápido (suspira). Dantes jogava a meio gás, mas agora tem de ser a sério e ele aborrece-se mesmo se não jogo tudo o que posso e sei. Estamos muito contentes com a forma como ele se sente, mas se vai tornar-se profissional ou não depois se verá, porque poucos lá chegam. Já em pequeno dizia que queria estar em Roland Garros. Adora a vida de um tenista.


 


- Certamente disseste-lhe para não pensar em comparações…


- Não é fácil. Quando jogam com ele pensam que me estão a ganhar a mim. E há dez anos atrás era tudo muito diferente. Dantes um pouco de talento era suficiente para desiquilibrar, mas agora a estrtura física dos jogadores mudou. Hoje em dia todos são grandes e o facto de ser um bom júnior não quer dizer que depois se tenha êxito enquanto profissional. Costumo dar sempre o exemplo do Olivier Rochus, que foi n°1 mundial júnior e, depois, não sei se chegou a ser nº25 ATP (foi 24º, a 17 de Outubro de 2005). Ele tem é que manter-se tranquilo. Eu próprio gostaria de ter tido as possibilidades que ele tem agora...


 

Espero que tenha sido do vosso agrado a inclusão da entrevista aqui no blog. Pareceu-me interessante fazê-lo, não só porque nutro uma certa simpatia pelo Coria, mas também pelo facto de ser um jogador algo misterioso e com muito para contar.

Entretanto, recomendo passagens pelo site Fue buena que, apesar de escrito em espanhol, contém artigos muito interessantes e geralmente pequenos, o que torna mais fácil ultrapassar alguma aversão à língua falada no país das pampas.



publicado por Morais às 16:57
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 3 de Dezembro de 2007

EUA conquistam "saladeira"

Sem espinhas. Assim pode caracterizar-se a vitória norte-americana na edição de 2007 da mais importante competição por equipas do ténis mundial.
Menos equilibrada e emotiva do que o esperado, a final da Taça Davis, disputada em Portland, revelou-se um autêntico passeio para os estado-unidenses. Claramente mais adaptados ao piso do Memorial Coliseum, os jogadores da equipa da casa tiraram grande partido desse factor, aliado ao apoio incondicional do seu público, para bater, por claros 4-1, uma selecção russa desfalcada pelas ausências de Marat Safin e Nikolay Davydenko (nos singulares).
Com efeito, a estratégia adoptada por Shamil Tarpischev pode ter resultado em Moscovo, na época transacta (os russos bateram os americanos por 3-1), mas fracassou completamente este ano. Dmitry Tursunov, lançado para o embate com Andy Roddick, esteve muito desastrado, permitindo a conquista fácil do primeiro e importante ponto da final para os EUA.
Para agravar ainda mais a situação, no segundo singular, Mikhail Youzhny apanhou pela frente um inspirado James Blake e, pese embora a excelente réplica, acabou também por sucumbir em quatro parciais -6-3, 7-6(4), 6-7(3) e 7-6(3)-, num jogo de emoções fortes.
Desta forma, ao cabo do primeiro dia, o seleccionador russo deve ter regressado ao hotel a mal-dizer as suas opções e a rezar pelo milagre da reviravolta.
Contudo, no segundo dia haveria de ficar mesmo tudo resolvido. O estranho par Andreev/Davydenko não foi capaz de incomodar os incontestados líderes do ranking mundial da especialidade, os irmãos Bryan, perdendo por 7-6(4), 6-4 e 6-2 e permitindo que a última jornada fosse apenas de consagração para os norte-americanos.
Trigésima segunda "saladeira" da história dos EUA, mas apenas a primeira desde 1995, curiosamente também conquistada frente à Rússia, num ano em que pontificavam na equipa grandes nomes como Andre Agassi, Pete Sampras, Jim Courier e Todd Martin.

 

p.s.: artigo retirado do site Livre Indirecto.

 

publicado por Morais às 23:40
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 10 de Outubro de 2007

Breves da última semana

Foto Altair Models S.A.

Estoril Open - Ficámos a saber, na passada quinta-feira, que nem todas as novidades relativas ao Estoril Open são boas. Depois da bomba que foi a confirmação da vinda de Roger Federer ao nosso país, para disputar a edição de 2007 do maior evento tenístico do nosso país, eis que surge um duro rombo às aspirações de crescimento do torneio. 

A ATP divulgou uma parte do plano de modernização do circuito masculino de 2009 e o Estoril Open falhou o se grande objectivo, que passava por ficar inserido na categoria dos chamados eventos "500" -que devem o seu nome precisamente aos pontos que atribuem aos vencedores-, passando a ocupar um plano muito secundário no calendário mundial.

Perde João Lagos, perde o país e perdemos nós, os amantes do ténis, que dificilmente veremos, nos próximos anos, jogadores de top-10 a actuar em solo português.

E o motivo para a "desclassificação" do evento português é bem evidente: a falta de infraestruturas. É caso para perguntar aos governantes e autarcas do nosso país: percebem agora a importância das instalações definitivas?

 

Karlovic à bomba - Ainda na quinta-feira, Ivo Karlovic tornou-se apenas no quarto jogador desde 1991 -ano em que a ATP passou a coleccionar estatísticas sobre a matéria- a ultrapassar a barreira dos 1000 ases numa só época. Tal aconteceu no encontro dos quartos-de-final do torneio de Tóquio, frente ao australiano Lleyton Hewitt. Karlovic "disparou" 25 ases e passou a contar com 1019 esta temporada, um registo que é apenas batido pelos quatro de Goran Ivanisevic, que, aliás, detém o máximo de ases num só época: 1477! A melhor média de serviços directos por jogo, essa, é mesmo posse de Karlovic, cifrando-se nos 20.4. Notável!

                          

------------------------------------------------------------------------------------------

RICOH ATP MatchFacts - 1,000 Aces Club # (Since 1991)

 

Ano                    Jogador                              Nº de Ases     Média/jogo

2007---->Ivo Karlovic (CRO)                1,029               20.4

2004---->Andy Roddick (USA)                1,019               12.5

1998---->Goran Ivanisevic (CRO)          1,065               15.0

1997---->Goran Ivanisevic (CRO)          1,048               14.8

1996---->Goran Ivanisevic (CRO)        1,477               15.4

1994---->Goran Ivanisevic (CRO)           1,169               13.8

1993---->Pete Sampras (USA)                1,011               10.8

------------------------------------------------------------------------------------------

 

Borg-McEnroe - O sueco e o norte-americano reavivaram uma das mais espectaculares rivalidades do ténis da Era moderna.

Na passada sexta-feira, no torneio de Eindhoven, inserido no circuito mundial de veteranos, Borg e McEnroe voltaram a enfrentar-se, cerca de 26 anos depois do último encontro entre ambos, na final do US Open'81.Tal como nessa partida, McEnroe voltou a levar a melhor, desta feita em dois renhidos tie-breaks: 8-6 e 7-4. O jogo fez as delícias do público presente, que aplaudiu entusiasticamente ambos os intervenientes durante todo o encontro, rendendo uma justa homenagem a estas duas lendas vivas do ténis mundial.

Para gáudio dos fãs da modalidade, mais desafios como este estão previstos para os próximos tempos, agora que Borg regressou ao Black Rock Tour of Champions e McEnroe está para durar.

 

Leonardo Tavares - O tenista português surpreendeu pela positiva, ao vencer o Porto Open, evento da categoria future dotado com 15000$ em prémios monetários. Num torneio recheado de bons valores do ténis mundial (quatro top-400 estiveram presentes), Leonardo Tavares  esteve sempre à altura dos acontecimentos, conquistando, no passado Domingo, o seu primeiro título internacional da carreira. Curiosamente, tal feito foi conseguido à custa do mesmo tenista que o tinha parado na única final que disputara até então (num 10000$ na Bolívia): Cristian Villagran.

Segue-se, agora, o Solverde Tennis Cup, mais um evento future, que se disputa em Espinho, terra natal do tenista português. Espera-se mais uma boa prestação que lhe valha nova subida num ranking mundial em que passou a figurar na 530ª posição, subindo 135 lugares.

Ainda no Porto Open, mas no sector feminino, Catarina Ferreira esteve também em destaque. A tenista portuguesa atingiu a final do evento, acabando por sucumbir frente à mais cotada tenista checa Katerina Vankova, nº 401 mundial.

 

A escalada de Safin - Marat Safin resolveu aproveitar uma paragem forçada, por lesão, para tentar escalar a sexta montanha mais alta do planeta: Cho-Oyu, na fronteira do Nepal com o Tibete. No entanto, ao fim de menos de duas semanas (das 4 que dura a subida ao cume da montanha), Safin resolveu abortar a aventura, optando por regressar mais cedo do que o previsto aos courts de ténis, nos quais tem feito pouco furor ultimamente. Esperemos que os ares da montanha lhe tenham revigorado a alma e que regresse ao ténis que outrora exibia.

 

publicado por Morais às 23:58
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 30 de Agosto de 2007

US Open - Dia 3 em imagens

Bela vista do exterior do court Arthur Ashe, ontem, antes do jogo de Rafael Nadal

 

Rafael Nadal teve um dia bem difícil. Bateu o qualifier Alun Jones, mas teve de suar muito para se impor, por 7-5, 3-6, 6-4 e 6-1.

 

Já o russo Mikhail Youzhny quase nem chegou a aquecer. "Cilindrou" o francês Devilder: 6-0, 6-1 e 6-2.

 

O veterano Tim Henman contrariou as previsões, vencendo Dmitry Tursunov apenas pela 2ª vez em 7 confrontos, e adiou o adeus à modalidade em provas ATP.

 

O russo Marat Safin desenvencilhou-se do canadiano Frank Dancevic, ultimamente muito inspirado, em três renhidas partidas: 7-5, 7-6(7-5) e 7-6(9-7).

 

Teimurasz Gabashvili foi a surpresa do dia. E que prazer foi vê-lo jogar! Derrotou Fernando Gonzalez, num jogo de bombardeiros, em 5 sets. Venceu os dois primeiros e o último, impedindo a reviravolta de Gonzalez.

 

Gonzalez volta, assim, a fraquejar num torneio do Grand Slam. Depois da final na Austrália, apenas 2 vitórias em 5 partidas, em eventos desta categoria.

 

No lado feminino, Justine Henin voltou a impor-se com grande tranquilidade. A búlgara Pironkova foi presa fácil, sobretudo na segunda partida. No final: 6-4 e 6-0.

 

Ana Ivanovic continua a encantar. Venceu Aravane Rezai, por 6-3 e 6-1 e segue para a terceira ronda.

 

Também Venus Williams esteve bem, vencendo Ioana Raluca-Olaru, por 6-4 e 6-2.

 

Já nos encontros nocturnos, foi a vez de Roger Federer e Serena Williams exibirem credenciais.

 

Roger Federer, ontem a actuar de negro, bateu, sem dificuldade, o chileno Paul Capdevile, por 6-1, 6-4 e 6-4.

 

Serena Williams, por seu turno, teve de suar um pouco mais, mas a italiana Maria Elena Camerin não esteve à altura das grandes ocasiões de que dispôs, cedendo em dois parciais.

 

A perícia dos apanha-bolas...

 

Resultados do dia 3 - Singulares masculinos; Singulares femininos

Ordem dos jogos do dia 4

 

p.s.: comentários inseridos nas fotos

 

publicado por Morais às 10:58
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Segunda-feira, 13 de Agosto de 2007

Montréal - Melhores encontros

Uma vez que há muitas e boas almas que se dispõem a colocar encontros completos e muitos resumos das melhores partidas de cada torneio, resolvi fazer uma compilação dos que me parecem mais interessantes e disponibilizar aqui para todos os que desejem fazer o download dos mesmos. Desde já, um agradecimento especial ao site TennisVideos.

 

Partidas Completas

J.C. Ferrero - L. Hewitt: Parte 1, Parte 2, Parte 3, Parte 4, Parte 5, Parte 6, Parte 7

N. Djokovic - N. Kiefer: Parte 1, Parte 2, Parte 3, Parte 4, Parte 5

N. Djokovic - A. Roddick: Parte 1, Parte 2, Parte 3, Parte 4

N. Djokovic - R. Nadal: Parte 1, Parte 2, Parte 3, Parte 4

N. Djokovic - R. Federer: Parte 1, Parte 2, Parte 3, Parte 4

R. Federer - L. Hewitt: Parte 1, Parte 2, Parte 3, Parte 4, Parte 5

R. Federer - I. Karlovic: Parte 1, Parte 2

 

Resumos

R. Nadal - M. Safin

R. Federer - L. Hewitt

F. Verdasco - R. Gasquet

A. Roddick - A. Clement

F. Fognini - A. Murray

D. Nalbandian - D. Ferrer

R. Federer - I. Karlovic

 

NOTA: todas as partidas, à excepção da final, têm comentários em francês. Caso algum link expire, nada poderei fazer, uma vez que não são da minha responsabilidade, nem tão-pouco tenho capacidade para fazer uploads desta dimensão.

 

publicado por Morais às 19:13
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 9 de Julho de 2007

Wimbledon - Bons momentos

Agora que findou o torneio de Wimbledon, parece boa ideia rever alguns resumos dos melhores encontros jogados durante a quinzena. Abaixo, para quem dispuser de tráfego internacional com fartura, deixo alguns links para resumos de partidas de jogadores como Federer, Nadal, Safin, Henin, Serena Williams...entre outros. Desfrutem!

 

Roger Federer - Teimuraz Gabashvili

Roger Federer - Juan Martin del Potro

Roger Federer - Marat Safin

Roger Federer - Juan Carlos Ferrero - Opção 1 Opção 2

Roger Federer - Richard Gasquet

Rafael Nadal - Robin Soderling

Serena Williams - Daniela Hantuchova

Justine Henin - Elena Vesnina

Justine Henin - Serena Williams

 

E, para além destes, existem curtos resumos diários do torneio, que podem ser vistos nos links abaixo.

 

Dia 1

Dia 2

Dia 3

Dia 4

Dia 5

Dia 6

Dia 7

Dia 8

Dia 9

Dia 10

Dia 11

Dia 12

Dia 13

 

NOTA: todos os links foram retirados de outros sites, pelo que, caso fiquem indisponíveis, nada poderei fazer.

 

publicado por Morais às 02:48
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Sexta-feira, 29 de Junho de 2007

Wimbledon - Dia 5 em imagens

Estes foram os protagonistas do quinto dia do torneio de Wimbledon, fazendo a sua aparição num dos courts do All England Club. Depois de um momento de descontracção, foram retirados do recinto e a partida pôde prosseguir. 

O suíço Roger Federer jogou com o russo Marat Safin, no encontro mais aguardado do dia. Sabia-se do perigo que Safin poderia ser, mas foi Federer quem sorriu no final da contenda. 

Safin exasperado, no decorrer do duelo com o nº1 mundial. 

 Andy Roddick recorreu a toda a sua garra para recuperar da desvantagem no terceiro set do encontro que o opunha ao espanhol Fernando Verdasco. O americano consegui vencer, em apenas três partidas.

 Tommy Haas venceu, demonstrando apurada forma, o russo Dmitry Tursnunov e vai agora enfrentar Roger Federer, na tentativa de apurar-se para os quartos-de-final.

 Juan Carlos Ferrero, depois de ter entrado a perder neste torneio (o checo Jan Hajek roubou-lhe os dois sets iniciais no embate da primeira ronda), está agora a adquirir a sua melhor forma e está já nos oitavos-de-final, onde defrontará o sérvio Janko Tipsarevic.

 No duelo mais espectacular do dia, aquele que opôs Fernando Gonzalez (foto) a Janko Tipsarevic (o tal que defrontará Ferrero), houve muita emoção (terminou a 8-6(!) na "negra"), aliada a pontos espectaculares, factos que tornaram este encontro num dos mais vistosos da semana.

 Tipsarevic levou a melhor e apurou-se, pela primeira vez na carreira, para os oitavos-de-final de um torneio do Grand Slam.

 Gonzalez, favorito à partida, descarregou toda a sua frustração na hora da derrota. O chileno perdeu uma boa oportunidade de, pelo menos, igualar o seu melhor registo aqui em Wimbledon (QF).

 No sector feminino, a surpresa do dia foi a americana Laura Granville, que derrotou a ex-campeã (1997) Martina Hingis, em pouco mais de uma hora.

 Hingis foi mais uma vítima do "cemitério dos campeões" (nome atribuído ao court 2 do complexo) e, no final, mostrou-se arrependida de ter jogado Wimbledon, por ainda não se encontrar totalmente recuperada da lesão na anca que tem vindo a afectar a sua temporada.

 A eslovaca Daniela Hantuchova carimbou a passagem à quarta ronda, livrando-se da sempre difícil Katarina Srebotnik. No entanto, seguidamente defrontará a mais nova das irmãs Williams, Serena, num encontro de elevado grau de dificuldade.

 Também Jelena Jankovic passou à fase seguinte, mas, desta feita, com grandes dificuldades. Derrotou a checa Lucie Safarova, em três renhidos sets.

 Quem tem surpreendido e muito é Patty Schnyder. A suíça nunca antes tinha passado da terceira ronda, mas este ano, com três vitórias na "negra", já está nos oitavos-de-final. Até onde poderá ir esta talentosa esquerdina?

 

 

Resultados do dia:

 

Singulares masculinos

Singulares femininos

 

Ordem dos jogos - Dia 6

 

publicado por Morais às 21:24
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 28 de Junho de 2007

Wimbledon - Dia 4 em imagens

Quarto dia de torneio em Wimbledon e jornada repleta de sol e de boas partidas.

 No court reinava, como pode ver-se, a boa disposição por entre os inúmeros fãs que se deslocaram ao All England Club.

 O espanhol Rafael Nadal foi um dos vencedores do dia. Aqui, em acção frente ao austríaco Werner Eschauer. Vitória fácil, por 6-2, 6-4 e 6-1.

 O russo Marat Safin também se saiu bem do encontro frente ao paquistanês Aisam-Ul-Haq Qureshi, vencendo em três partidas. No entanto, o seu próximo adversário dá pelo nome de Roger Federer, o que parece ser um obstáculo intransponível. Mas, como o próprio Federer admitiu, "Safin é um jogador que, num dia bom, pode ganhar a seja quem for". Amanhã se verá.

 Marcos Baghdatis, o simpático cipriota, também garantiu lugar na terceira ronda, fruto da vitória sobre o francês Nicolas Devilder. Na sua segunda preseça em Wimbledon, o cipriota continua a revelar excelentes dotes para o ténis de relva.

 Outros dos que têm revelado boa forma neste torneio britânico é o carismático sérvio Novak Djokovic. Desta vez, a vítima foi o americano Amer Delic.

 Pior sorte teve Tim Henman, aquele em que todos os ingleses centravam atenções. Depois de uma recuperação espectacular de 2-0 para 2-2 em sets, o britanico deixou escapar uma excelente oportunidade para seguir em frente, perdendo na "negra".

 Mérito de Feliciano Lopez, que se mostrou muito concentrado e jogou um ténis de elevadíssimo nível.

 Henman deixou o central debaixo de aplausos e prometeu voltar à carga no próximo ano.

 Quem conseguiu consumar a reviravolta na sua partida foi o surpreendente russo Nikolay Davydenko. Com um estilo de jogo pouco talhado para esta superfície, o tenista de leste tem sabido adaptar-se bem e foi autor de uma espectacular remontada, vencendo o australiano Chris Guccione.

 Também Guillermo Cañas, especialista em superfícies mais lentas, está na terceira ronda. Mas o senhor que se segue é, nada mais nada menos, o australiano Lleyton Hewitt. Não muito boas, portanto, as perspectivas de ir mais longe neste torneio.

 Sebastien Grosjean, antigo semi-finalista aqui (2003 e 2004), confirmou estar a atravessar um mau período na sua carreira. Caiu, na segunda ronda, frente ao sueco Robin Soderling.

 Já Tommy Haas parece estar de regresso à boa forma, depois da lesão que o manteve afastado dos courts por largo período, e bateu o checo Tomas Zib.

Também Lleyton Hewitt se tem revelado muito eficaz e resolveu o "problema" chamado Simone Bolelli, ultrapassando o italiano com muita facilidade. 

Por fim, Jarkko Nieminen caminha a passos largos para o reencontro com Rafael Nadal. Caso vença o russo Mikhayl Youzhny e nadal ultrapasse Robin Soderling, voltarão a enfrentar-se, desta vez nos oitavos-de-final do torneio. 

 No lado das senhoras, Amélie Mauresmo necessitou de apenas 51 minutos para bater a austríaca Yvonne Meusburger e demonstrou estar preparada para a defesa do título.

 Ana Ivanovic tem mostrado grande determinação e pretenderá repetir uma final do Grand Slam, num torneio em que já foi vice-campeã, na variante júnior.

 Venus Williams conseguiu, desta feita, uma vitória mais tranquila. Hana Sromova foi a vítima de uma jogadora que está em claro crescendo e poderá ser mesmo uma perigosa adversária.

 Por último, também a russa Sharapova, usando o seu vestido inspirado no "Lago dos Cisnes", "voou" para a vitória frente à surpreendente quarto-finalista da edição transacta, a francesa Severine Bremond.

 

Resultados do dia:

 

Singulares masculinos

Singulares femininos

 

Ordem dos jogos - Dia 5

 

publicado por Morais às 23:59
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 26 de Junho de 2007

Wimbledon - Dia 2 em imagens

 Em dia de actuação de Tim Henman, todas as orações britânicas lhe foram úteis para levar de vencida o espanhol Carlos Moya. Este fã incondicional muito sofreu, mas pôde sorrir no final.

 Depois de muita luta, Henman venceu por 13-11 na quinta partida e garantiu acesso à segunda ronda.

 Os dois jogadores cumprimentam-se amigavelmente no final da contenda, num gesto de grande desportivismo.

 Quem também esteve na ordem do dia foi Rafael Nadal. O espanhol tornou fácil o encontro da primeira ronda frente ao americano Mardy Fish, vencendo em três sets.

 Imagem típica dos jogos de Nadal. Um gesto que o espanhol repete, consecutivas vezes, antes de executar o golpe de serviço.

 Marat Safin venceu também e está na segunda ronda, certamente com o pensamento na possível partida da terceira, contra Roger Federer.

 Lleyton Hewitt demonstrou toda a sua garra e derrotou o tenista da casa Richard Bloomield. O australiano é um sério candidato à vitória final no torneio, ele que já venceu no All England Club, em 2002.

 Novak Djokovic revelou também excelente forma e pode ser um perigoso outsider.

 O francês Nicolas Mahut, que esteve muito próximo de vencer o torneio de Queen's, averbou mais uma vitória, desta feita frente ao seu compatriota Arnaud Clement. Quatro sets bastaram para somar a quarta vitória nesta etapa do Grand Slam, uma vez que vem do torneio de qualificação.

 Jonas Bjorkman, semi-finalista da edição transacta, derrotou o espanhol Fernando Vicente e segue também em frente.

 James Blake executa um excelente vólei. Talvez tenha estado aqui a chave do sucesso no jogo com o russo Igor Andreev. Pelo menos no vólei esteve bem melhor. Venceu por 6-3, 6-4 e 6-4.

 Igor Andreev tentando imitar Boris Becker. Sem sucesso.

 Maria Sharapova estreou-se hoje num torneio que venceu há três anos atrás. Conseguirá repetir o feito?

 Hoje teve tarefa relativamente fácil, mas tempos mais duros se avizinham.

 Por último, Venus Williams também segue para a ronda seguinte, mas o seu jogo esteve longe da perfeição, tendo sofrido muito para derrotar a russa Kudryavtseva. Mau augúrio?

 

Resultados do dia:

 

Singulares masculinos

Singulares femininos

 

publicado por Morais às 21:29
link do post | comentar | favorito

.Visitas

blogs SAPO