Porto

.posts recentes

. Passing-shots

. Breves da última semana

. Lobs

. Passing-shots

. US Open - Dia 10 em image...

. US Open - Grandes pontos ...

. Sampras e Federer defront...

.arquivos

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.pesquisar

 

.links

.Stats

Domingo, 11 de Novembro de 2007

Passing-shots

Borg e McEnroe - Assistiu-se, em Liege, a mais um confronto entre estas duas lendas vivas do ténis mundial. Tal como acontecera em Eindhoven, há cerca de 6 semanas atrás, McEnroe voltou a levar a melhor, demonstrando ter, ainda, outro ritmo competitivo. No entanto, desta feita, o encontro só foi decidido no Super Tie-Break, com McEnroe a vencer por 10-6.

 

Carlos Ramos - Depois da final do Open da Austrália'05 e de Wimbledon'07, o árbitro português vai voltar a estar presente na final de uma grande competição: a Taça Davis. Carlos Ramos foi destacado para arbitrar o encontro que oporá os EUA à Rússia, na companhia do espanhol Enric Molina, e, aos 36 anos, é já um dos árbitros com melhor currículo a nível mundial.

 

Guillermo Coria - Finalmente, o tenista argentino está de regresso aos courts, depois de uma ausência de quase 13 meses. Mesmo sem ter, ainda, obtido resultados auspiciosos -perdeu na primeira ronda em Belo Horizonte e Assunção-, Coria mostra-se optimista em relação ao seu futuro na modalidade e promete um ano de 2008 em força. Aguardemos para ver.

 

Tommy Haas - O tenista alemão foi o protagonista da última semana. Em causa, um possível envenenamento, aquando da meia-final da Taça Davis, que opôs a Rússia à Alemanha, em Moscovo. Depois do seu compatriota, Alexander Waske, ter revelado que alguém lhe dissera que Haas havia sido envenenado, o próprio jogador veio dizer que passou muito mal a noite de Sexta-feira (21 de Setembro) e que o que teve não foi apenas um simples distúrbio gástrico. No entanto, a Federação Alemã cedo tratou de acalmar a polémica, afirmando não haver motivos que levem a crer que Tommy Haas tenha sido envenenado, pelo que esta história deve mesmo ficar por aqui.

 

Ranking mundial - Nunca antes a diferença entre Roger Federer e Rafael Nadal no ranking mundial foi tão curta. Pela primeira vez desde que Nadal atingiu a segunda posição da hierarquia que Federer domina desde 2004, os dois jogadores estão separados por uma margem inferior a 1000 pontos.

Com efeito, com a derrota precoce do suíço em Paris e a chegada do espanhol à final desse mesmo evento, o nº1 mundial passou a somar "apenas" 6530 pontos, contra os 5535 de Nadal.

Assim, o tal objectivo de chegar ao primeiro posto do South African Airways ATP Ranking em 2009, assumido por Nadal, pode mesmo vir a ser concretizado ainda no decorrer da próxima época, tudo dependendo da performance dos dois jogadores. A luta continua.

 

Alessio Di Mauro - O tenista italiano é a primeira vítima da caça aos apostadores. Esta semana, foi suspenso por 9 meses pelo ATP e condenado a pagar uma malta de mais de 40000€ por ser um apostador activo em partidas de ténis. Ainda que não se tenha provado que o italiano apostou em partidas suas, o ATP fez-se valer dos regulamentos, que proibem que qualquer jogador faça apostas desportivas e sancionou o italiano, um dos envolvidos no escândalo despoletado pelo russo Nikolay Davydenko.

 

Gastão Elias - Artigo F.P.Ténis

 

publicado por Morais às 11:13
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 10 de Outubro de 2007

Breves da última semana

Foto Altair Models S.A.

Estoril Open - Ficámos a saber, na passada quinta-feira, que nem todas as novidades relativas ao Estoril Open são boas. Depois da bomba que foi a confirmação da vinda de Roger Federer ao nosso país, para disputar a edição de 2007 do maior evento tenístico do nosso país, eis que surge um duro rombo às aspirações de crescimento do torneio. 

A ATP divulgou uma parte do plano de modernização do circuito masculino de 2009 e o Estoril Open falhou o se grande objectivo, que passava por ficar inserido na categoria dos chamados eventos "500" -que devem o seu nome precisamente aos pontos que atribuem aos vencedores-, passando a ocupar um plano muito secundário no calendário mundial.

Perde João Lagos, perde o país e perdemos nós, os amantes do ténis, que dificilmente veremos, nos próximos anos, jogadores de top-10 a actuar em solo português.

E o motivo para a "desclassificação" do evento português é bem evidente: a falta de infraestruturas. É caso para perguntar aos governantes e autarcas do nosso país: percebem agora a importância das instalações definitivas?

 

Karlovic à bomba - Ainda na quinta-feira, Ivo Karlovic tornou-se apenas no quarto jogador desde 1991 -ano em que a ATP passou a coleccionar estatísticas sobre a matéria- a ultrapassar a barreira dos 1000 ases numa só época. Tal aconteceu no encontro dos quartos-de-final do torneio de Tóquio, frente ao australiano Lleyton Hewitt. Karlovic "disparou" 25 ases e passou a contar com 1019 esta temporada, um registo que é apenas batido pelos quatro de Goran Ivanisevic, que, aliás, detém o máximo de ases num só época: 1477! A melhor média de serviços directos por jogo, essa, é mesmo posse de Karlovic, cifrando-se nos 20.4. Notável!

                          

------------------------------------------------------------------------------------------

RICOH ATP MatchFacts - 1,000 Aces Club # (Since 1991)

 

Ano                    Jogador                              Nº de Ases     Média/jogo

2007---->Ivo Karlovic (CRO)                1,029               20.4

2004---->Andy Roddick (USA)                1,019               12.5

1998---->Goran Ivanisevic (CRO)          1,065               15.0

1997---->Goran Ivanisevic (CRO)          1,048               14.8

1996---->Goran Ivanisevic (CRO)        1,477               15.4

1994---->Goran Ivanisevic (CRO)           1,169               13.8

1993---->Pete Sampras (USA)                1,011               10.8

------------------------------------------------------------------------------------------

 

Borg-McEnroe - O sueco e o norte-americano reavivaram uma das mais espectaculares rivalidades do ténis da Era moderna.

Na passada sexta-feira, no torneio de Eindhoven, inserido no circuito mundial de veteranos, Borg e McEnroe voltaram a enfrentar-se, cerca de 26 anos depois do último encontro entre ambos, na final do US Open'81.Tal como nessa partida, McEnroe voltou a levar a melhor, desta feita em dois renhidos tie-breaks: 8-6 e 7-4. O jogo fez as delícias do público presente, que aplaudiu entusiasticamente ambos os intervenientes durante todo o encontro, rendendo uma justa homenagem a estas duas lendas vivas do ténis mundial.

Para gáudio dos fãs da modalidade, mais desafios como este estão previstos para os próximos tempos, agora que Borg regressou ao Black Rock Tour of Champions e McEnroe está para durar.

 

Leonardo Tavares - O tenista português surpreendeu pela positiva, ao vencer o Porto Open, evento da categoria future dotado com 15000$ em prémios monetários. Num torneio recheado de bons valores do ténis mundial (quatro top-400 estiveram presentes), Leonardo Tavares  esteve sempre à altura dos acontecimentos, conquistando, no passado Domingo, o seu primeiro título internacional da carreira. Curiosamente, tal feito foi conseguido à custa do mesmo tenista que o tinha parado na única final que disputara até então (num 10000$ na Bolívia): Cristian Villagran.

Segue-se, agora, o Solverde Tennis Cup, mais um evento future, que se disputa em Espinho, terra natal do tenista português. Espera-se mais uma boa prestação que lhe valha nova subida num ranking mundial em que passou a figurar na 530ª posição, subindo 135 lugares.

Ainda no Porto Open, mas no sector feminino, Catarina Ferreira esteve também em destaque. A tenista portuguesa atingiu a final do evento, acabando por sucumbir frente à mais cotada tenista checa Katerina Vankova, nº 401 mundial.

 

A escalada de Safin - Marat Safin resolveu aproveitar uma paragem forçada, por lesão, para tentar escalar a sexta montanha mais alta do planeta: Cho-Oyu, na fronteira do Nepal com o Tibete. No entanto, ao fim de menos de duas semanas (das 4 que dura a subida ao cume da montanha), Safin resolveu abortar a aventura, optando por regressar mais cedo do que o previsto aos courts de ténis, nos quais tem feito pouco furor ultimamente. Esperemos que os ares da montanha lhe tenham revigorado a alma e que regresse ao ténis que outrora exibia.

 

publicado por Morais às 23:58
link do post | comentar | favorito
Sábado, 8 de Setembro de 2007

Lobs

Juan Monaco - Aqui há dois meses atrás, quando me pediram características do jogo de Juan Monaco, na altura em que este acabara de vencer em Kitzbühel, fiz uma breve descrição, tendo prognosticado muitas dificuldades em coneguir resultados de relevo nos pisos mais rápidos. O que é facto é que o argentino não só ultrapassou Rafael Nadal em Cincinnati, atingindo os oitavos-de-final, como ainda marcou presença nessa mesma fase neste US Open, perdendo para Novak Djokovic, mas apenas num encontro bem renhido. Surpreendeu-me.

 

Nadal e Ferrer - Estes dois espanhóis marcaram encontro nos oitavos-de-final do US Open, com a vitória a sorrir ao menos credenciado, num encontro muito bem jogado.

Por alturas do embate, uma história caricata veio à baila. Como é sabido, os espanhóis são grandes apreciadores de jogos de playstation e, em Junho, durante o torneio de Roland Garros, David Ferrer e Rafael Nadal fizeram parceria contra o também espanhol Carlos Moya e o argentino David Nalbandian, num jogo de ténis virtual. Resultado: os dois primeiros perderam e, como castigo, terminaram em cuecas à porta do hotel onde estavam instalados, a cantar e a dançar. Que tipos mais doidos.

 

Tanto break para quê? - Numa das partidas dos quartos-de-final masculinos deste US Open aconteceu algo muito pouco comum. Decorria o terceiro set do embate Nikolay Davydenko vs. Tommy Haas quando, num período muito estranho, se registaram 5 quebras de serviço consecutivas. Algo nada habitual nos encontros do circuito ATP, ainda para mais nos quartos-de-final de um evento do Grand Slam.

Já no circuito feminino, em especial nos encontros da russa Elena Dementieva, factos como este são já mais normais. Recordo-me de assistir a uma partida, no torneio de Antuérpia de 2005, entre a referida jogadora e a francesa Amélie Mauresmo, na qual houve 10(!) breaks consecutivos. Mauresmo acabou por vencer, por 6-3 e 6-4, mas nesse segundo set apenas o último dos 10 jogos não resultou em quebra de serviço.

 

À boleia - No decorrer de Agosto, por alturas do torneio de Montréal, Roger Federer ofereceu uma boleia, no seu jacto particular, a Rafael Nadal. Algo que vem realçar o saudável clima existente entre ambos, uma coisa que era impensável para rivais como Jimmy Connors, John McEnroe, Bjorn Borg e Pat Cash.

 

publicado por Morais às 14:51
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 7 de Setembro de 2007

Passing-shots

Gastão Elias e Michelle Brito - Frustrante. Assim pode ser caracterizada a prestação dos jovens portugueses nesta edição do Open dos EUA. Apenas uma vitória -em singulares, de Gastão Elias- para quatro derrotas é um resultado bastante desanimador, sobretudo depois das brilhantes performances nas duas etapas do Grand Slam anteriores.

A verdade é que já estávamos mal habituados e as expectativas eram muito altas, até porque Michelle Brito e Gastão Elias estão quase radicados nos EUA, permanecendo muitas semanas por ano em Bradenton, Flórida, na academia Nick Bollettieri e ambos possuem um estilo de jogo muito bom para este tipo de superfícies.

Mas é preciso não esquecer que, atendendo a que Gastão está prestes a completar 17 anos e Michelle 15, é preciso tempo para amadurecer e evoluir antes de se poderem esperar grandes resultados.

 

Tailandeses - Muito por culpa desse ídolo nacional que é Paradorn Srichaphan, o ténis na Tailândia sofreu um acentuado crescimento de popularidade, de tal forma que, actualmente, são já vários os tenistas oriundos daquele país asiático a participar nos torneios do circuito de juniores. No Open dos EUA competiram Peerakiat SiriluethaiwarranaKittipong Wachiramanowong, na vertente masculina e Noppawan Lertcheewakarn, no lado feminino. Seguramente dos nomes mais insólitos que alguma vez escrevi e escreverei. Alguém se atreve a ler?

 

Ténis americano - Já não é de agora. O ténis norte-americano anda pelas ruas da amargura. Depois de dar a conhecer grandes nomes como Arthur Ashe, Jimmy Connors, John McEnroe, Jim Courier, Pete Sampras, Andre Agassi, Chris Evert, Billie Jean King, Tracy Austin, Jennifer Capriati e as irmãs Williams, entre outro(a)s, são agora poucos os que são verdadeiramente capazes de defender as cores do seu país com distinção.

No circuito ATP, apenas Andy Roddick consegue alguns voos mais altos, mas nem ele conseguiu evitar o descalabro deste ano, o único, a par de 2004, em que não houve um só americano nas meias-finais do evento, desde o início da Era Open, em 1968. No entanto, 2007 foi ainda pior que 2004, dado que apenas Roddick atingiu os quartos-de-final, quando no ano dos Jogos Olímpicos de Atenas, ele e Agassi o conseguiram. Como pode ver-se, é muito negro o panorama para um país que chegou a ser a super-potência do ténis mundial. E nem Donald Young, nem John Isner parecem capazes de alterar isso num futuro próximo.

Já no lado feminino, as irmãs Williams, sobretudo Venus, ainda vão salvando a honra do convento, mas não há nenhuma outra jogadora capaz de quebrar a hegemonia das tenistas de leste, que passeiam classe pelos courts.

E para agravar ainda mais a situação, nos quadros juniores, a situação é idêntica. Quando olhamos para a grelha masculina, nem um americano nos quartos-de-final; na grelha feminina, nem uma nas semi-finais. Mau demais.

 

André Sá e Marcelo Melo - Não me canso de referir que, quando vi estes brasileiros actuar no Estoril Open, achei que não havia futuro possível para esta dupla. Não obstante, André Sá e Marcelo Melo venceram o torneio e, quatro meses volvidos, somaram ainda uma presença nas meias-finais de Wimbledon e outra nos quartos-de-final deste Open dos EUA, sendo já a 15ª melhor dupla mundial. Uma parceria de sucesso.

 

publicado por Morais às 19:38
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 6 de Setembro de 2007

US Open - Dia 10 em imagens

O dia abriu com duas russas em court. Chakvetadze foi a primeira a garantir apuramento para as meias-finais, ao derrotar Shahar Peer. É a primeira vez na carreria que atinge uma fase tão adiantada numa prova deste gabarito.

 

Kuznetsova foi a outra russa a qualificar-se. Vitória sobre a surpresa da prova, Agnes Szavay: 6-1 e 6-4.

 

Agnes Szavay merece uma palavra de grande apreço. Verão fantástico, que culmina com uma óptima prestação em Flushing Meadows. Muito promissor...

 

Bela vista do Arthur Ashe Stadium, num dos típicos duelos de fim de tarde.

 

No último dos encontros do dia, Nikolay Davydenko comprovou que está em excelente momento e bateu Tommy Haas sem apelo nem agravo. 6-3, 6-3 e 6-4, em mais uma vitória em 3 sets.

 

Com todos os encontros do dia a terminarem num ápice, houve que aguardar pela sessão nocturna para ver mais ténis.

 

Jelena Jankovic foi a primeira a entrar em court, ao lado de Venus Williams. Aqui sorria, mas, no final, foi Venus quem levou a melhor.

 

A norte-americana até nem começou bem: perdeu o primeiro set (6-4) e sofreu um break logo de entrada na segunda partida, mas os parciais finais (4-6, 6-1 e 7-6(7-4)) foram-lhe favoráveis. Aghora, frente a Justine Henin, procurará "vingar" a irmã.

 

Para a partida seguinte, que opunha Roger Federer a Andy Roddick, Andre Agassi regressou aos courts de Flushing Meadows, agora na condição de comentador. O retorno do campeão foi aplaudido efusivamente pela multidão.

 

Também Jimmy Connors esteve presente, sofrendo pelo seu pupilo Andy Roddick.

 

E Boris Becker, na companhia da namorada, também marcou presença.

 

Já em court, foi Federer quem dominou as atenções. O suíço derrotou Andy Roddick pela 14ª vez em 15 confrontos e está um passo mais próximo da sua 10ª final consecutiva em torneios do Grand Slam. Notável!

 

Roddick bem tentou, mas, frente a Federer, não houve solução possível.

 

Resultados do dia 10 - Singulares Masculinos; Singulares Femininos

Ordem dos jogos do dia 11

 

p.s.: comentários incluídos nas fotos

 

publicado por Morais às 02:54
link do post | comentar | favorito
Domingo, 26 de Agosto de 2007

US Open - Grandes pontos (Parte II)

#1 - Roger Federer vs Andre Agassi - Final 2005

 

 

#2 - Jimmy Connors vs Paul Haarhuis - QF 1991

 

 

#3 - Jaime Yzaga vs Pete Sampras - 2ª ronda 1994

 

 

#4 - Roger Federer vs Andre Agassi - Final 2005

 

 

#5 - Mary Pierce vs Justine Henin - QF 2005

  

publicado por Morais às 02:39
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Terça-feira, 24 de Julho de 2007

Sampras e Federer defrontam-se em Macau

Pete Sampras, aqui em acção no torneio de Wimbledon, executando uma das suas pancadas características: o Slam DunkRoger Federer, no torneio de Wimbledon, o "jardim" que roubou a Pete Sampras

É certo que a notícia não é nova, mas, ainda assim, é merecedora de destaque. O norte-americano Pete Sampras e o suíço Roger Federer vão encontrar-se em Macau, no âmbito de uma iniciativa da cadeia de hotéis "The Venetian". O encontro entre estes dois nomes grandes do ténis mundial terá lugar no dia 24 de Novembro e será jogado num piso de carpete, à melhor de três sets, todos com possível tie-break.

Mas ainda antes, nos dias 20 e 22 do referido mês, Sampras e Federer defrontar-se-ão também em terras asiáticas, sendo que o local do primeiro encontro não está ainda definido e o segundo se realiza em Kuala Lumpu, na Malásia.

Entretanto, Sampras tem trabalhado para se manter em forma e, ontem, foi posto à prova pelo seu compatriota John McEnroe, num torneio de exibição, na universidade de Virginia. A vitória sorriu ao mais novo dos americanos, por 6-3, 5-7 e 10-8(STB), mas Sampras terá de fazer muito mais para ombrear com o acutal nº1 do ranking mundial.

 

publicado por Morais às 12:30
link do post | comentar | favorito

.Site amigo

Bolamarela

.Visitas

.Online

hit counter
blogs SAPO