Porto

.posts recentes

. Aconteceu esta semana (28...

. A zero

. A sentença final

. Taça Davis - Portugal em ...

.arquivos

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.pesquisar

 

.links

.Stats

Segunda-feira, 4 de Fevereiro de 2008

Aconteceu esta semana (28.01 a 04.02)


Da esquerda para a direita: Magali de Lattre, Neuza Silva e Maria João Koehler. A estas juntou-se Ana Catarina Nogueira para completar o conjunto de atletas que defendeu as cores lusas na Fed Cup.

Portugal foi despromovido ao Grupo II da zona Euro-Africana da Fed Cup. Na poule realizada em Budapeste, que contava com a participação de Ana Ivanovic, Jelena Jankovic, Agnes Szavay, Patty Schnyder, Agnieszka Radwanska e Caroline Wozniacki, tenistas do top-50 do ranking WTA, a selecção nacional conseguiu escapar a todas elas. Em sorte sairam-nos Bulgária, Holanda e Luxemburgo, num sorteio "amigo".
Ainda assim, Neuza Silva e companhia não foram capazes de vencer um único encontro em toda a primeira fase, quedando-se pela última posição do grupo.
Depois, na última oportunidade de manutenção no Grupo I, cabia à selecção das quinas defrontar a Grã-Bretanha, em mais uma dura prova.
Nova derrota, por 0-2 (o par não se realizou), e consequente descida ao Grupo II.
Fraca prestação das pupilas de Pedro Cordeiro, que, em jeito de rescaldo, elogiou a atitude de Ana Catarina Nogueira ao longo de toda a prova e afiançou que Portugal tem equipa para regressar à terceira divisão do ténis mundial a curto prazo.
Como era esperado, Sérvia e Suíça garantiram a subida ao II Grupo Mundial e a Geórgia, para além de Portugal, foi despromovida.

Gonzalez venceu o título em Viña del Mar sem ter necessitado de jogar a final

O chileno Fernando Gonzalez venceu em Viña del Mar, no seu próprio país, o primeiro título da temporada.
Antes de disputar a partida das meias-finais, já Gonzalez sabia que a vitória nesse encontro o levaria à conquista do ceptro, devido à lesão contraída pelo outro finalista, o argentino Juan Monaco, na final da variante de pares.
Num jogo emocionante, "Fena" levou de vencida o uruguaio Pablo Cuevas, por 6-7(4), 7-6(6) e 6-2, tendo salvado 2 match-points a 6-5 no segundo set.
Cuevas disputou em Viña del Mar o seu primeiro torneio de nível ATP, não se saindo nada mal, portanto. Faltou apenas um bocadinho para ser a estreia perfeita...

Foto www.tribuneindia.com

O tenista sueco Joachim Johansson anunciou a retirada definitiva do circuito professional masculino.
Johansson foi considerado uma das maiores esperanças da década para o ténis sueco, mas viu a sua carreira ser fustigada por inúmeras lesões.
"Pim-pim", nome pelo qual é conhecido, chegou a atingir a nona posição do ranking mundial em 2005, num ano em que venceu dois títulos -Adelaide e Marselha- logo nos dois primeiros meses da temporada e estabeleceu a melhor marca de ases num só encontro (51), entretanto igualada por Ivo Karlovic.

Foto AFP

João Lagos confirmou a presença de Nikolay Davydenko no Estoril Open'08. O russo junta-se, assim, a Roger Federer naquele que será, sem dúvida, o mais forte torneio de sempre. Por ora, estão garantidos dois top-4 do ranking mundial...aguardemos para ver que surpresas mais nos reserva o empresário português.

Foto AFP

Rússia, EUA, China e Espanha apuraram-se para as meias-finais do Grupo Mundial da Fed Cup.
As russas foram a Israel bater a selecção local, por 4-1, com Maria Sharapova em grande destaque.
Por seu lado, a selecção americana, que tinha uma tarefa previsivelmente fácil, suou um pouco do que o esperado, com a vitória sobre a Alemanha (4-1) a surgir apenas no último dia (ontem, por causa das chuvas), através do Ashley Harkleroad.
Já a China foi a grande confirmação, ao bater uma desfalcada França (nem Golovin, nem Mauresmo, nem Bartoli participaram), por 3-2, com a dramática vitória a ser consumada no decisivo encontro de pares.
Por fim, as espanholas conseguiram uma fantástica vitória em Nápoles, muito por culpa das excelentes exibições de Anabel Medina-Garrigues e da desinspiração de Francesca Schiavone. 3-2 foi o resultado final, mas os dois últimos encontros, que deram em vitória das italianas, serviram apenas para cumprir calendário.

publicado por Morais às 23:17
link do post | comentar | favorito
Domingo, 23 de Setembro de 2007

A zero

Os holandeses festejaram a manutenção no Grupo I da zona Euro-africana

Terminou da pior forma, para Portugal, o playoff do Grupo I da Zona Euro-africana. Os comandados de Pedro Cordeiro escalados para os jogos de hoje, no Ahoy, em Roterdão, não foram capazes de se superiorizar aos holandeses e a eliminatória terminou com um pesado 5-0 a favor da equipa da casa.

Frederico Gil, que se apresentava em excelente momento de forma à partida, voltou a revelar as evidentes falhas do seu jogo, nomeadamente no capítulo ofensivo, e perdeu frente a Robin Haase, com parciais de 6-3 e 6-4; já Rui Machado, utilizado em detrimento de Gastão Elias, acabou também por não ser capaz de desfeitear a jovem promessa do ténis holandês, Jesse Huta-Galung, que venceu por 6-3, 3-6 e 6-2, ao cabo de pouco mais de 1h30m de jogo.

Com esta derrota, Portugal vê consumada a descida ao Grupo II da zona Euro-africana e terá, no próximo ano, de lutar muito para regressar a esta divisão que agora deixa, por forma a consolidar, definitivamente, o seu crescimento no panorama do ténis mundial.

 

publicado por Morais às 21:39
link do post | comentar | favorito
Sábado, 22 de Setembro de 2007

A sentença final

Gastão Elias e Frederico Gil não conseguiram obter o ponto da esperança para Portugal.
A já aguardada derrota de Portugal, frente à sua congénere holandesa, e consequente descida ao Grupo II da Zona Euro-africana aconteceu talvez mais cedo do que o previsto.
Hoje, no encontro de pares, o do tudo ou nada para os portugueses, Gastão Elias e Frederico Gil não foram capazes de adiar a decisão da eliminatória para amanhã, sucumbindo à experiência da dupla Peter Wessels / Jesse Huta-Galung. 2-6, 7-6(7-5), 6-7(5-7) e 3-6 foram os parciais da derrota, que retira muito interesse ao último dia de competição, apenas para cumprir calendário.
Para Pedro Cordeiro "a derrota foi natural, mas os holandeses ainda apanharam uns sustos, sobretudo no encontro do Gastão, ontem, e hoje no par. Para o ano há mais.".
Efectivamente, agora interessa planear bem a competição do próximo ano, com vista a retornar rapidamente ao Grupo I, onde Portugal merece estar e donde saiu também pelo facto de ter actuado sempre fora de casa e em ambientes e superfícies mais favoráveis aos adversários.
Das prestações individuais, realce para Gastão Elias, que revelou muito do talento que poderá fazer dele um jogador de topo e se mostrou muito bem adaptado a esta superfície muito rápida do pavilha de Roterdão. Por outro lado, Frederico Gil não foi capaz de impôr o seu tipo de jogo, muito menos explosivo e pouco propenso para este tipo de pisos, acabando por deixar uma pálida imagem do seu real valor.
Amanhã, terão lugar, então, os dois singulares finais, sendo que, em princípio, Frederico Gil e Rui Machado serão os escolhidos para tentar averbar, pelo menos, o ponto de honra.
publicado por Morais às 23:58
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

Taça Davis - Portugal em maus lençóis

Gastão Elias surpreendeu pela positiva, mas não conseguiu superar Robin Haase e deixou Portugal a perder por 0-2.

Já se sabia difícil a missão portuguesa em Roterdão. E agora, ao fim do primeiro dia de competição, com um 2-0 desfavorável aos comandados de Pedro Codeiro, parece ter-se tornado impossível vergar esta selacção holandesa e garantir a permanência no Grupo I da Zona Euro-africana da Taça Davis.

Ontem, no primeiro singular, Frederico Gil demonstrou pouco da forma que o fez vencer em Sevilha e caiu, facilmente, às mãos de um experientíssimo Raemon Sluiter, por 6-2, 6-1 e 6-3, colocando Portugal a perder por 1-0 e dando indicadores preocupantes a uma selecção que depende muito do seu mais bem cotado tenista.

Para o segundo singular, e em virtude da lesão de Leonardo Tavares, Gastão Elias foi o jogador escalonado para o confronto com Robin Haase. E se o favoritismo claro do holandês, 104º jogador mundial, pareceu ter pesado muito na performance de Gastão nos dois primeiros parciais, o "Pepe" da Lourinhã soltou-se mais e acabou, surpreendentemente, por vencer os dois sets seguintes -6-2 e 7-5. No entanto, a maior experiência e frescura física de Haase foram determinantes na "negra", acabando por conduzi-lo à vitória final, com um concludente 6-2.

Hoje, terá lugar o encontro de pares, com a dupla Frederico Gil / Gastão Elias a tentar relançar os portugueses na disputa de uma eliminatória que parece já quase perdida. Mas a esperança é a última coisa a morrer...

 

publicado por Morais às 12:35
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

.Site amigo

Bolamarela

.Visitas

.Online

hit counter
blogs SAPO