Porto

.posts recentes

. Previsões para 2008

. Cuidado com ele...

. US Open - Dia 9 em imagen...

.arquivos

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.pesquisar

 

.links

.Stats

Quarta-feira, 2 de Janeiro de 2008

Previsões para 2008


Foto joaolagossports.com

Na sequência do artigo publicado no "Jornal do Ténis", da autoria de Miguel Seabra, do qual tomei conhecimento através do fórum LusoTénis, decidi-me a responder também eu às perguntas feitas no "Tototénis 2008" -como o designa o autor-, que abordam algumas das grandes questões para a temporada tenística de 2008. Então, cá vai...


1. Conseguirão o país e a imprensa generalista aperceber-se realmente da importância da presença no Estoril Open de Roger Federer, uma lenda viva do desporto que já está à altura de mitos como Michael Jordan, Muhammed Ali ou Pelé?

1 (Sim)! Se há coisa que não falta ao país e à imprensa é entusiasmo por ocasião destes grandes eventos. É certo que estamos a falar de ténis e não de futebol, mas, se bem me recordo, nem o país nem a imprensa generalista passaram ao lado da Masters Cup de 2000, sendo que as pessoas acorreram em grande número ao Pavilhão Atlântico e a imprensa escrita dedicou várias páginas a cada dia do torneio.



2. Conseguirá ser gerida da melhor maneira a complicada sobreposição da eliminatória da Taça Davis face à Tunísia e o qualifying do Estoril Open?

2 (Não)! De maneira alguma isto poderá terminar como todos querem. A eliminatória da Taça Davis é muito importante e, certamente, prioritária, mas tenistas como Leonardo Tavares e Rui Machado vão, provavelmente, ficar de fora da próxima edição do Estoril Open, por não existirem wild-cards para todos.



3. Conseguirá a Federação Portuguesa de Ténis eleger um novo Director Técnico Nacional que seja mais unânime e menos polémico do que o anterior?

1 (Sim)! Independentemente das escolhas feitas, não é difícil ser menos polémico e mais unânime que Paulo Lucas, que, enquanto ocupou o cargo de DTN, esteve envolvido em assuntos que em nada prestigiam o ténis nacional.



4. Conseguirá Leonardo Tavares finalmente registar resultados dinos do seu potencial e juntar-se a Frederico Gil no top 200?

2 (Não)! Ao top-200 não me parece que Leonardo possa chegar. Tem potencial tenístico, sem dúvida, mas precisa de alguma estabilidade emocional e que as lesões não o afectem tanto como até agora. Talvez possa chegar ao top-300, mas sem se aproximar dos 200 primeiros postos do ranking. Espero enganar-me redondamente.



5. Conseguirão Michelle Brito e Gastão Elias manter o trajecto ancensional na transição em full-time para o circuito profissional?

X (Talvez). Depende aqui dos objectivos a que se propuserem e das expectativas que se criarem em torno deles. Serão certamente altos, mas há que ter em conta que, nesta primeira época mais a sério (a tempo inteiro), as dificuldades vão ser grandes. Exigência sim, mas com moderação.



6. Conseguirá Roger Federer ganhar finalmente Roland Garros e bater o recorde de títulos do Grand Slam?

X (Talvez). Começando por Roland Garros, é óbvio que tal dependerá do percurso de Nadal, o único rival a uma altura manifestamente superior em pisos de terra batida. Se este estiver efectivamente lesionado -como anunciou o seu tio- e não lhe correr de feição a temporada no pó-de-tijolo, então, Federer poderá ter uma chance. Caso contrário, duvido mesmo muito.
Em relação ao recorde de Pete Sampras em títulos do Grand Slam, estou em crer que igualará o mesmo, sem contudo, por ora, conseguir superá-lo. Na sequência do que antes disse, Roland Garros deve ser para Nadal e acredito numa surpresa em qualquer um dos outros três.



7. Conseguirá Justine Hénin tornar-se na tenista com mais títulos do Grand Slam em actividade?

1 (Sim)! Creio que só uma lesão ou uma época desastrosa poderão impedir Henin de bater o recorde de 8 títulos do Grand Slam que é pertença de Serena Williams (Henin tem 7). A belga é tão mais superior e versátil que as demais que dificilmente muitas lhe baterão o pé em 2008.



8. Conseguirá Rafael Nadal travar a deterioração da sua condição física e consequente baixa no ranking?

1 (Sim)! Uma pergunta de resposta difícil. Rafael Nadal tem um jogo muito baseado na parte física. Não é uma arma exclusiva, ou estaria longe dos lugares de topo, mas é fundamental para o seu estilo de jogo, assente na grande capacidade defensiva. Ou está efectivamente com graves problemas físicos, ou então terá apenas mais uma época como qualquer outra neste capítulo e manter-se-á em lugares cimeiros. Chegará ao fim cansado, como qualquer outro, mas pronto para 2009.



9. Conseguirão os melhores tenistas mundiais lidar com a realização do torneio olímpico numa altura complicada do calendário?

1 (Sim)! Independentemente da tradição que tem no âmbito do ténis, um torneio olímpico é sempre uma competição que todos sonham ganhar. Nadal já apontou baterias para Pequim e Federer quererá certamente ganhar o torneio para completar ainda mais o seu recheado currículo. Djokovic jogará muito pelo orgulho em representar a sérvia e com muitos outros o mesmo se passará. Se isso vai prejudicar o resto da temporada? Não sei ao certo...mas penso que não. Para esse efeito, será apenas mais um torneio no calendário preenchido de cada um...



10. Conseguirão a húngara Agnes Szavay e o letão Ernests Gulbis ser as grandes surpresas da próxima época?

X (Talvez). Este resulta de um sim e de um não. Apesar dos primeiros resultados da época apontarem numa direcção oposta, creio que Gulbis não será ainda "a revelação" e que Szavay poderá fazer muitos estragos durante a época.
Penso que é inegável que o circuito masculino é bem mais exigente do ponto de vista da afirmação de jogadores novos e ainda faltará qualquer coisa a Gulbis para ter um época regular, entre os melhores; por outro lado, Szavay parece ter as condições reunidas para atingir, talvez, o top-10 do ranking feminino: ténis fácil, agressivo e consistente.


Se quiserem apresentar as vossas, terei muito gosto em publicá-las aqui. E, mais tarde, prestarei contas ao que hoje escrevi...


publicado por Morais às 14:06
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 1 de Janeiro de 2008

Cuidado com ele...

Mesmo sabendo que, já em 2007, Andy Murray prometeu muito e depois, fruto de lesões no pulso e nas costas, acabou por frustrar algumas expectativas, arrisco dizer que, ou muito me engano, ou o britânico (escocês) vai ter um 2008 de grande nível (top-5? Porque não?).

Hoje, em Doha, Murray vergou o belga Olivier Rochus, por 6-0 e 6-2, dando mostras de muita maturidade e pura classe. Combinação explosiva.

E já que estamos numa onda de vaticínios, aproveito para discordar daqueles que afirmam que Ernests Gulbis ascenderá a lugares de topo na decorrer da presente época. Embora até simpatize com o letão e concorde que a facilidade do seu jogo é impressionante, creio que Gulbis tem ainda muito a aprender e maturidade a ganhar e que, por isso mesmo, não conseguirá sequer chegar ao top-20 do ranking mundial -é o actual 61º, tendo já figurado na 46ª posição. Cá estaremos para ver...

 

publicado por Morais às 18:41
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 5 de Setembro de 2007

US Open - Dia 9 em imagens

Juan Ignacio Chela está a atravessar um bom momento. Com a vitória suada sobre Stanislas Wawrinka, o argentino atinge, pela segunda vez na carreira, os quartos-de-final de um torneio do Grand Slam.

 

Carlos Moya tem feito as delícias dos espectadores. Aos 31 anos, o espanhol está a jogar um ténis fantástico, tendo derrotado o surpreendente letão Ernest Gulbis com relativa facilidade.

 

Ernest Gulbis é um nome a fixar. Certamente nos próximos tempos veremos este jovem de 19 anos em mais altos voos. Aquela vitória sobre Tommy Robredo foi qualquer coisa de impressionante!

 

Novak Djokovic tem stado igual a si próprio. Mais uma vitória, mas também muito suor...

 

David Ferrer é quem mais tem impressionado. Pouco habituado a estas andanças em provas de hardcourt, o espanhol tem exibido um ténis fenomenal, aliando potência a um incrível jogo de pés. Cuidem-se os adversários...

 

Rafael Nadal foi a vítima de Ferrer. Totalmente inesperada, ou talvez não, a derrota em 4 partidas. As lesões terão afectado o jogo de Nadal, mas até ele fez questão de atribuir todo o mérito a Ferrer.

 

Justine Henin soma e segue. Defrontou Serena Williams, pela terceira vez em quartos-de-final de torneios do Grand Slam este ano e pela terceira vez se impôs. Fantástico!

 

Resultados do dia 9 - Singulares Masculinos; Singulares Femininos

Ordem dos jogos do dia 10

 

p.s.: comentários incluídos nas fotos

 

publicado por Morais às 22:23
link do post | comentar | favorito

.Site amigo

Bolamarela

.Visitas

.Online

hit counter
blogs SAPO