.posts recentes

. Sharapova vence Open da A...

. Ela está de volta!

. Quem é quem?

. Entrevista a Coria - 2ª p...

. A despedida de Paola Suár...

. Mauresmo ausente do US Op...

. Gil regressou ao activo

. ATP e WTA - Indianapolis,...

. Agnes Szavay conquista 1º...

. Gastão Elias treina com M...

.arquivos

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.pesquisar

 

.links

Sábado, 30 de Junho de 2007

Gil de volta às boas prestações

O português Frederico Gil está, finalmente, de volta às boas prestações em torneios challenger. Esta semana, em Reggio Emilia (35000$), já está nas meias-finais, depois de bater, consecutivamente, o qualifier belga Steve Darcis, o sérvio Viktor Troicki e o espanhol Marc Lopez, que abandonou, por lesão, o encontro dos quartos-de-final. O senhor que se segue é o francês Olivier Patience, o tal que derrotou Nikolay Davydenko no Estoril Open e forçou Novak Djokovic a cinco sets em Roland Garros. O encontro do português poderá ser acompanhado aqui, a partir das 18:30h.

Nota de realce também para um outro português. Rui Machado está de volta aos courts, após um ano a debelar uma lesão, tendo participado no future de Málaga. Em singulares, foi batido na segunda ronda, mas em pares, ao lado de Gonçalo Nicau, conquistou o título. Bom regresso de Rui Machado, que segue agora para Alicante, para participar em mais um future espanhol.

 

publicado por Morais às 14:05
link do post | comentar | favorito

Wimbledon - Sorteio do quadro de juniores

 

Sorteio aziago para a portuguesa Michelle Larcher de Brito que, nesta estreia no quadro júnior de Wimbledon, terá de defrontar a actual líder do raking mundial, a russa Anastasia Pavlyuchenkova, logo na primeira ronda. Não que Michelle não seja capaz de ultrapssar esta dificuldade, porque acredito que seja, mas não seria certamente esta a adversária mais desejada. Pavlyuchenkova já jogou, este ano, no All England Club e foi batida, na primeira ronda do quadro feminino sénior, pela eslovaca Daniela Hnatuchova, por claros 6-0 e 6-1. Para além disto, caiu surpreendentemente na primeira ronda do quadro júnior do ano transacto, factos que poderão conferir um alento extra a Michelle Brito, nesta árdua tarefa que se avizinha.

Quanto a Gastão Elias, o jovem português teve, até ver, melhor sorte. Na ronda inaugural defrontará o polaco Mateusz Szimigiel, um jogador que conta com apenas uma vitória num torneio do Grupo 2 e outro num Grupo 4 no seu palmarés.

Assim, de Michelle Brito espera-se o melhor possível e de Gastão "exige-se" melhor que o que fez no último torneio do Grand Slam, em Roland Garros.

 

publicado por Morais às 11:50
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Domingo, 24 de Junho de 2007

Resultados da poll "Que piso mais vos agrada?"

 

Ao cabo de cinco dias de votação, foi este o resultado parcial a que chegámos. Digo parcial, porque, embora tenha de retirar a poll da página do blog, por força dos reajustamentos a fazer na mesma, ela voltará mais tarde, numa altura em que entrarmos no circuito de hardcourt do Verão norte-americano.

Com efeito, quase metade dos leitores votantes, escolheram a terra batida como o seu piso preferido e como aquele que potencia o melhor ténis. De facto, o "pó-de-tijolo" tem particularidades muito interessantes. É a superfície que propicia as longas trocas de bola e aquela em que mais rapidamente se pode mudar de uma situação de defesa do ponto para uma posição de conquista do mesmo. E talvez seja essa mesmo a beleza do ténis em terra batida, essa incerteza sobre o vencedor do ponto até que a bola bata pela segunda vez no solo, no lado de um dos jogadores. Rafael Nadal que o diga, ele que não dá por perdido nenhum ponto, conseguindo reviravoltas que têm tanto de inesperadas, como de espectaculares. Para confirmá-lo, veja-se o vídeo abaixo, demonstrativo daquilo que se disse acima. Nem todos podem fazê-lo, é certo, mas há quem o consiga e nós, espectadores, agradecemos.

Em suma, a terra batida, como superfície, leva vantagem sobre as demais e, ainda que a isso não seja alheio o facto de termos acabado de sair de uma longa temporada de terra batida, não será fácil destroná-la desse posto cimeiro, atendendo aos inúmeros fãs com predilecção pelo ténis nessa superfície mais lenta.

 

 Rafael Nadal - Roland Garros 2005

 

publicado por Morais às 20:50
link do post | comentar | favorito

#3 - Que é feito de...Martin Verkerk

Tempo de regressarmos a esta rúbrica, dedicada a jogadores que andam desaparecidos da ribalta do tenis mundial. Talvez agora que estamos já bem dentro da temporada de relva não seja a altura mais adequada para falar de Martin Verkerk, um tenista que, apesar da sua altura e do seu magnífico serviço, nunca foi capaz de impor-se numa superfície tão rápida. No entanto, havendo tenistas bem mais ilustres para destacar nas imediações do torneio parisiense de Roland Garros, deixei este holandês para o dia que antecede Wimbledon, uma vez que o seu perfil encaixaria no dos bons jogadores de relva. Bem enganador...

Martin Verkerk tardou em aparecer no circuito mundial, fruto da sua carreira universitária, que sempre pôs à frente da carreira desportiva. Os primeiros anos como tenista profissional (é-o desde 1997), foram pautados pelos inúmeros torneios challenger que disputou, sem, contudo, obter resultados de relevo, salvo três ou quatro vitórias. Todavia, foi graças a esses torneios que começou a garantir entrada em torneios de maior gabarito, já em meados da época de 2002. Depois de alguns resultados aceitáveis, foi progredindo no ranking, até atingir o posto 84 com que iniciou o melhor ano da sua carreira: 2003. Nesse ano, vindo do nada, sagrou-se, ainda em Janeiro, vencedor do torneio de Milão, conseguindo uma incrível marca de 109 ases ao longo da semana. Mas o melhor estaria ainda para vir.

Em Abril, em Roland Garros, Verkerk esteve à beira de eliminação no encontro da segunda ronda, frente ao peruano Luís Horna, que eliminara Roger Federer na ronda anterior. O holandês esteve a perder por 5-2 no quarto set (em desvantagem por 2-1 em sets), mas conseguiu salvar três match-points e vencer numa quinta partida desse duelo incrível, para depois iniciar uma caminhada verdadeiramente espantosa -eliminou Carlos Moya e Guillermo Coria-, apenas travada por Juan Carlos Ferrero na final. Nunca antes Verkerk vencera um encontro em torneios do Grand Slam, facto que torna ainda mais memorável esse torneio parisiense de 2003.

No entanto, até ao final do ano não voltaria a sobressair da mesma maneira e, em 2004, teve uma época apenas razoável até ao torneio de Amersfoort, no seu país natal. Aí, conseguiu vencer e parecia estar a querer encaminhar a carreira, quando uma lesão arreliadora no ombro direito o atirou para fora dos courts até ao início desta temporada. A verdade é que, depois do regresso, Verkerk não logrou qualquer vitória (0-9 esta época), apesar de se encontrar no lugar 666 quando no início do presente ano era o nº1533 do ranking ATP.

Uma pena, porque fazem falta ao circuito jogadores tão empolgantes como Verkerk, cujas emoções sempre estão à flor da pele, no bom sentido da expressão.

Uma última nota, a título de curiosidade, vai para o facto do holandês ter passado pelo nosso país, para disputar o Estoril Open, em 2003. Na altura, perdeu na primeira ronda frente ao israelita Harel Levy, fazendo com que poucos se lembrem dessa sua vinda, de tão fugaz que foi.

 

Para os menos lembrados deste jogador do país das tulipas, poderão ver uma compilação dos bons momentos da sua carreira no vídeo abaixo, ou consultar a sua página na wikipédia.

 

publicado por Morais às 15:51
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 19 de Junho de 2007

Frederico Gil perde em Braunschweig

 

Não tem sido feliz a campanha de Frederico Gil nos torneios challenger que tem jogado após a passagem quase frutuosa pelo qualifying de Roland Garros. O tenista luso voltou a perder, desta vez na primeira ronda do 125.000$ de Braunschweig e frente a um seu bem conhecido, o italiano Fabio Fognini. Depois da derrota averbada frente a este mesmo jogador em Fürth, há duas semanas atrás, este dois amigos (jogam pares com frequência) voltaram a cruzar-se e foi o italiano quem voltou a ser claramente superior, batendo o português por 6-4 e 6-2.

Para mais informações sobre o percurso dos tenistas portugueses em provas por esse mundo fora, consultar este excelente blog, de seu nome "Ténis em Portugal".

 

publicado por Morais às 23:58
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Nottingham, s-Hertogenbosch e Eastbourne - Dias 1 e 2

Eis os resultados (abaixo) relativos à primeira ronda dos torneios acima mencionados.

Face às ausências de Rafael Nadal e Roger Federer da semana tenística, natural destaque para o croata Ivan Ljubicic, que promete dar cartas em s'Hertogenbosch, bem como para o francês Richard Gasquet, que tenta o "tri" num torneio de Nottingham onde nunca antes perdeu. No lado das senhoras, registe-se o regresso à actividade das recentes finalistas de Roland Garros, Justine Henin e Ana Ivanovic, que, em Eastbourne e s-Hertogenbosch, respectivamente, tentarão arrecadar o título e dar mostras de potencial para vencer o terceiro Grand Slam da temporada (Wimbledon), que arranca na próxima segunda-feira.

 

Nottingham

Eastbourne

s'Hertogenbosch - ATP, WTA

 

publicado por Morais às 23:39
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 11 de Junho de 2007

A mudança radical

Ainda ontem assistimos à mais importante partida da temporada de terra batida, já hoje somos confrontados com encontros numa nova superfície, a relva bem verde (por enquanto) dos courts ingleses e alemães. É chegada a altura em que "aparecem" aqueles jogadores com estilo de jogo puramente atacante, adeptos do serviço-vólei, possuidores de um serviço canhão, muito menos eficaz na superfícies ocre, e "desaparecem" alguns dos grandes protagonistas da primeira metade da temporada, incapazes de se adaptar a este piso extremamente rápido.

Outros, porém, dada a maior versatilidade do seu ténis, rapidamente se adaptam à brusca mudança e surgem prontos para o ataque, agora às provas da temporada de relva. É afinal possível hoje em dia conquistar os dois principais torneios do Grand Slam disputados em superfícies tão distintas como terra batida e relva num tão curto espaço de tempo? A verdade é que o último capaz de atingir tal feito foi o genial sueco Bjorn Borg, que "ousou", inclusivé, repeti-lo em três ocasiões consecutivas. Mas, embora mais ninguém o tenha conseguido entretanto, tal parece bastante possível e a prova foi dada o ano passado com a repetição, em Wimbledon, da final de Roland Garros. Só que aí os papéis inverteram-se e venceu Roger Federer, derrotando Rafael Nadal, rei em Paris. O que acontecerá este ano?

 

publicado por Morais às 16:16
link do post | comentar | favorito
Domingo, 10 de Junho de 2007

Roland Garros - Juniores masculinos

O bielorrusso Uladzimir Ignatik sagrou-se hoje vencedor do torneio masculino júnior de Roland Garros, ao derrotar, na final, o australiano Greg Jones, por claros 6-3 e 6-4. Primeiro título do Grand Slam para o jovem bielorrusso de 16 anos.

 

publicado por Morais às 19:44
link do post | comentar | favorito

Roland Garros - Pares masculinos

Mark Knowles (esq.) e Daniel Nestor (dir.) sagraram-se hoje vencedores do torneio de pares masculinos de Roland Garros. Os sextos cabeças-de-série derrotaram, na final, o par constituído pelos checos Lukas Dlouhy e Pavel Vizner por 2-6, 6-3 e 6-4. Aos 35 anos, o baamiano Knowles conquista o seu segundo título do Grand Slam, enquanto o canadiano Nestor (34) arrecadou o seu terceiro troféu em provas desta categoria.

 

publicado por Morais às 01:39
link do post | comentar | favorito

Roland Garros - Boys' doubles

O italiano Thomas Fabbiano (à esquerda na foto) e o bielorusso Andrei Karatchenia (direita)venceram a competição de pares da vertente de juniores masculinos do torneio de Roland Garros, ao derrotarem, na final, os favoritos Jonathan Eysseric e Kellen Damico, segundos cabeças-de-série, por contundentes 6-4 e 6-0. Foi um percurso notável para Fabbiano e Karatchenia, que deixaram pelo caminho os primeiros, segundos e quartos favoritos ao longo da prova. Para o italiano foi ainda a vingança da derrota que Eysseric, talentoso francês, lhe infligira na segunda ronda do quadro de singulares.

 

publicado por Morais às 01:29
link do post | comentar | favorito
Sábado, 9 de Junho de 2007

Roland Garros - 14º dia

Frustrante. Justine Henin venceu hoje o torneio feminino de Roland Garros, de uma forma excessivamente fácil, derrotando Ana Ivanovic na final em dois pequenos sets. Nada fazia prever tamanho desiquilíbrio, mas Ivanovic não conseguiu abstrair-se do momento, acusando a responsabilidade e exibindo-se muito abaixo das suas reais capacidades. Mérito também para Justine que nunca concedeu qualquer facilidade à sua adversária, tendo estado tacticamente irrepreensível.

Quarto título em provas do Grand Slam para a belga, que parte agora em boa forma à conquista de Wimbledon, único título de Grand Slam que se lhe escapa.

Mais desenvolvimentos sobre a final no site Livre Indirecto, neste artigo.

 

publicado por Morais às 15:37
link do post | comentar | favorito

Roland Garros - Pares mistos

O israelita Andy Ram e a francesa Nathalie Dechy venceram o torneio de pares mistos do torneio de Roland Garros'07, tornando-se nos primeiros vencedores absolutos da edição deste ano. Na final, derrotaram o sérvio Nenad Zimonjic e a eslovena Katarina Srebotnik, com parciais de 7-5 e 6-3, em 1h15m. Primeiro título em provas do Grand Slam para Andy Ram e segundo para Dechy, que conta também com o título de pares femininos do US Open'06 no seu palmarés.

 

publicado por Morais às 11:53
link do post | comentar | favorito

.Visitas

blogs SAPO