.posts recentes

. Contrastes

. Ténis espectáculo

. Actualidade

. Análise das polls - Vence...

. Aconteceu esta semana (28...

. Bolamarela - Crónica de C...

. Karatantcheva imparável

. Poll Sampras

. Fotos Open da Austrália

. Ainda o Open da Austrália...

.arquivos

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.pesquisar

 

.links

Domingo, 9 de Setembro de 2007

Breves

Breaks - Apenas dois dias depois de se ter registado um fenómeno estranho -breaks sucessivos- para um encontro dos quartos-de-final de um Grand Slam masculino, eis que algo ainda mais estranho, na mesma linha, ocorreu nas meias-finais: 6 quebras de serviço seguidas! Curiosamente, ambos os fenómenos tiveram um denominador comum: Nikolay Davydenko. O russo e o suíço Roger Federer, no seu encontro das meias-finais, trocaram breaks em seis jogos consecutivos e o número só não subiu para 7 (pelo menos), porque Davydenko, afectado pelo complexo de inferioridade que tem para com Roger Federer, não foi capaz de aproveitar mais dois break-points nesse jogo, que eram simultaneamente set-points. Fossem eles pontos normais e a coisa não teria, certamente, ficado por ali.

 

Carlos Ramos - O juíz português continua em alta. Ainda que sem o mesmo protagonismo a que teve direito no anterior torneio do Grand Slam, Wimbledon, Carlos Ramos tem estado sempre nos grandes momentos. Arbitrou o encontro dos quartos-de-final femininos, entre Justine Henin e Serena Williams e ainda a meia-final Roger Federer vs Nikolay Davydenko, para além de muitos outros em fases mais atrasadas. Um motivo de orgulho para o ténis português.

 

publicado por Morais às 18:59
link do post | comentar | favorito

Gil e Neuza: os campeões esperados

Frederico Gil - foto FP TénisNeuza Silva - foto FP Ténis

Por terras portuguesas, disputaram-se, esta semana, os Campeonatos Nacionais Absolutos, no Clube de Ténis do Estoril. Como muitos previram antes de se iniciar o evento, Frederico Gil e Neuza Silva, actuais melhores portugueses nos rankings mundiais respectivos, sagraram-se vencedores do torneio.

No quadro masculino, o grande atractivo era saber até que ponto Rui Machado poderia oferecer resistência a Frederico Gil, ele que está de regresso à sua melhor forma depois de uma longa paragem. E foi sem surpresa que vimos Gil ter de se aplicar a fundo para "dobrar" Machado, fazendo prevalecer a sua maior capacidade física na recta final do embate, que terminou com uns equilibrados 4-6, 6-1 e 6-4 a favor do campeão nacional, isto na meia-final da parte superior do quadro.

Da metade inferior, surgiu Pedro Sousa, o jovem que está agora a fazer a sempre difícil transição para os eventos seniores. Sousa aproveitou muito bem a desistência de Leonardo Tavares, na primeira ronda, para ir impondo o seu ténis poderoso e derrotar adversários menos cotados com segurança.

No entanto, na final, frente ao mais experiente jogador português em actividade, acusou alguma falta de ritmo e acabou por perder, por uns apertados parciais de 6-4 e 7-5.

Frederico Gil conseguiu, assim, renovar o título que conquistara na edição transacta e afirma-se como o melhor português também no plano interno, numa altura conturbada da sua carreira, marcada pela ruptura com João Cunha e Silva, seu treinador de longa data.

Já na vertente feminina, a setubalense Neuza Silva fez-se valer da sua maior competitividade para derrotar, na final, uma Ana Catarina Nogueira que, apesar de jogar apenas em part-time, continua a exibir uma forma invejável. Os parciais de 6-1, 5-7 e 6-4 atestam bem as dificuldades por que passou Neuza para renovar um título que já lhe pertencia e continuar a ostentar o estatuto de invencível, no plano interno, desde Maio de 2006.

 

Campeonato Nacional Absoluto

Quadro final masculino

Quadro final feminino

 

p.s.: adaptado do artigo publicado no site Livre Indirecto

 

publicado por Morais às 17:11
link do post | comentar | favorito

US Open - Grandes pontos

É verdade que foram poucas as partidas verdadeiramente interessantes no torneio feminino. O desiquilíbrio entre as jogadoras é notório e origina, nas rondas inaugurais, partidas curtas e, ainda assim, algo aborrecidas. Desta forma, apenas na recta final do evento os espectadores tiveram oportunidade de assistir a bom ténis. E logo com duas partidas realmente fantásticas. Curioso, ou talvez não, Justine Henin e as irmãs Williams foram as protagonistas, elas que são quem verdadeiramente anima o circuito WTA, protagonizando duelos muito intensos e bem jogados. Abaixo, deixo alguns dos melhores pontos jogados em todo o torneio, vindos directamente da partidas das meias-finais entre Henin e Venus, a mais velha das irmãs Williams. De encher o olho...

 

 

 

publicado por Morais às 16:57
link do post | comentar | favorito

US Open - Segundo do ano para Justine

Quase quatro anos depois de ter conquistado, na Austrália, o seu último título do Grand Slam que não Roland Garros, Justine Henin voltou a impor-se nos pisos rápidos de Flushing Meadows e conquistando o seu sétimo título em provas daquela categoria.

Num percurso altamente elogiado em todos os quadrantes da modalidade, Henin dominou todas as adversárias que lhe surgiram no caminho em apenas duas partidas, tendo as vitórias sobre as irmãs Williams, nos quartos e meias-finais, sido a prova cabal da sua superioridade.

Ontem, já na final, Svetlana Kuznetsova revelou-se impotente e, mesmo sem ter jogado mal, encaixou dois parciais bem duros -6-1 e 6-3-, fruto do desempenho excepcional da belga em todos os capítulos tecnico-tácticos do jogo.

Com esta vitória no Open dos EUA, Justine Henin amealhou mais 1 milhão e 100 mil euros para a sua conta pessoal e reforçou a liderança na hierarquia mundial feminina, detendo agora quase 1500 pontos de vantagem sobre a sua adversária da final de ontem.

 

p.s.: adaptado do artigo publicado no site Livre Indirecto

 

publicado por Morais às 11:51
link do post | comentar | favorito

US Open - Dia 13 em imagens

Final masculina: Roger Federer vs Novak Djokovic

Depois de um início menos conseguido, Djokovic impôs todo o seu ténis, frente ao espanhol David Ferrer, garantindo o apuramento para a sua primeira final de um torneio do Grand Slam.

Ferrer não foi capaz de contrariar o jogo de Djokovic e isso ficou bem patente no resultado final: 6-4, 6-4 e 6-3.

 

Na outra meia-final, entre Roger Federer e Nikolay Davydenko, assistimos ao mesmo de sempre. Um Davydenko a prometer muito, mas a fraquejar sempre que era preciso resolver. Acaba por tornar-se irritante o complexo de inferioridade que o russo tem quando defronta Federer. E o problema é que não é só ele. Que tal uns conselhos de Nadal?

 

Cabisbaixo. Davydenko entregou o ouro ao bandido quando teve oportunidade de fechar a terceira partida. Décima derrota em outros tantos confrontos com Federer.

 

A verdadeira estrela do dia. Justine Henin venceu, tal como se esperava, o título feminino. Os parciais de 6-1 e 6-3 com que brindou a russa Svetlana Kuznetsova atestam a superioridade da nº1 mundial.

 

Resultados do dia - Singulares Masculinos; Singulares Femininos

Ordem dos jogos do dia 14

 

publicado por Morais às 02:33
link do post | comentar | favorito
Sábado, 8 de Setembro de 2007

US Open - Dia 12 em imagens

 Final Feminina : Justine Henin vs Svetlana Kuznetsova

 

Justine Henin derrotou, ontem, a norte-americana Venus Williams e volta a marcar presença na final do US Open. A do ano passado perdeu-a, mas este ano é claramente favorita.

Num jogo equilibrado, Williams acabou por ceder na recta final de ambos os parciais, sucumbindo, ao cabo de 1:59h, por 7-6(7-2) e 6-4.

Na outra semi-final, Svetlana Kuznetsova operou uma excelente reviravolta, depois de perder o primeiro set (3-6). Venceu os dois seguintes, por duplo 6-1. Agora tentará repetir o êxito de 2004, neste mesmo torneio.

Anna Chakvetadze ficou muito perto de atingir a sua primeira final de um torneio do Grand Slam e colocar a cereja no topo do bolo que foi a campanha de Verão americana. Ainda assim, com apenas 20 anos, tudo indica que terá um futuro bem risonho, com muitas finais de Grand Slam pela frente.

 

Resultados do dia 12 - Singulares Femininos

Ordem dos jogos do dia 13

 

publicado por Morais às 16:14
link do post | comentar | favorito

Lobs

Juan Monaco - Aqui há dois meses atrás, quando me pediram características do jogo de Juan Monaco, na altura em que este acabara de vencer em Kitzbühel, fiz uma breve descrição, tendo prognosticado muitas dificuldades em coneguir resultados de relevo nos pisos mais rápidos. O que é facto é que o argentino não só ultrapassou Rafael Nadal em Cincinnati, atingindo os oitavos-de-final, como ainda marcou presença nessa mesma fase neste US Open, perdendo para Novak Djokovic, mas apenas num encontro bem renhido. Surpreendeu-me.

 

Nadal e Ferrer - Estes dois espanhóis marcaram encontro nos oitavos-de-final do US Open, com a vitória a sorrir ao menos credenciado, num encontro muito bem jogado.

Por alturas do embate, uma história caricata veio à baila. Como é sabido, os espanhóis são grandes apreciadores de jogos de playstation e, em Junho, durante o torneio de Roland Garros, David Ferrer e Rafael Nadal fizeram parceria contra o também espanhol Carlos Moya e o argentino David Nalbandian, num jogo de ténis virtual. Resultado: os dois primeiros perderam e, como castigo, terminaram em cuecas à porta do hotel onde estavam instalados, a cantar e a dançar. Que tipos mais doidos.

 

Tanto break para quê? - Numa das partidas dos quartos-de-final masculinos deste US Open aconteceu algo muito pouco comum. Decorria o terceiro set do embate Nikolay Davydenko vs. Tommy Haas quando, num período muito estranho, se registaram 5 quebras de serviço consecutivas. Algo nada habitual nos encontros do circuito ATP, ainda para mais nos quartos-de-final de um evento do Grand Slam.

Já no circuito feminino, em especial nos encontros da russa Elena Dementieva, factos como este são já mais normais. Recordo-me de assistir a uma partida, no torneio de Antuérpia de 2005, entre a referida jogadora e a francesa Amélie Mauresmo, na qual houve 10(!) breaks consecutivos. Mauresmo acabou por vencer, por 6-3 e 6-4, mas nesse segundo set apenas o último dos 10 jogos não resultou em quebra de serviço.

 

À boleia - No decorrer de Agosto, por alturas do torneio de Montréal, Roger Federer ofereceu uma boleia, no seu jacto particular, a Rafael Nadal. Algo que vem realçar o saudável clima existente entre ambos, uma coisa que era impensável para rivais como Jimmy Connors, John McEnroe, Bjorn Borg e Pat Cash.

 

publicado por Morais às 14:51
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 7 de Setembro de 2007

Passing-shots

Gastão Elias e Michelle Brito - Frustrante. Assim pode ser caracterizada a prestação dos jovens portugueses nesta edição do Open dos EUA. Apenas uma vitória -em singulares, de Gastão Elias- para quatro derrotas é um resultado bastante desanimador, sobretudo depois das brilhantes performances nas duas etapas do Grand Slam anteriores.

A verdade é que já estávamos mal habituados e as expectativas eram muito altas, até porque Michelle Brito e Gastão Elias estão quase radicados nos EUA, permanecendo muitas semanas por ano em Bradenton, Flórida, na academia Nick Bollettieri e ambos possuem um estilo de jogo muito bom para este tipo de superfícies.

Mas é preciso não esquecer que, atendendo a que Gastão está prestes a completar 17 anos e Michelle 15, é preciso tempo para amadurecer e evoluir antes de se poderem esperar grandes resultados.

 

Tailandeses - Muito por culpa desse ídolo nacional que é Paradorn Srichaphan, o ténis na Tailândia sofreu um acentuado crescimento de popularidade, de tal forma que, actualmente, são já vários os tenistas oriundos daquele país asiático a participar nos torneios do circuito de juniores. No Open dos EUA competiram Peerakiat SiriluethaiwarranaKittipong Wachiramanowong, na vertente masculina e Noppawan Lertcheewakarn, no lado feminino. Seguramente dos nomes mais insólitos que alguma vez escrevi e escreverei. Alguém se atreve a ler?

 

Ténis americano - Já não é de agora. O ténis norte-americano anda pelas ruas da amargura. Depois de dar a conhecer grandes nomes como Arthur Ashe, Jimmy Connors, John McEnroe, Jim Courier, Pete Sampras, Andre Agassi, Chris Evert, Billie Jean King, Tracy Austin, Jennifer Capriati e as irmãs Williams, entre outro(a)s, são agora poucos os que são verdadeiramente capazes de defender as cores do seu país com distinção.

No circuito ATP, apenas Andy Roddick consegue alguns voos mais altos, mas nem ele conseguiu evitar o descalabro deste ano, o único, a par de 2004, em que não houve um só americano nas meias-finais do evento, desde o início da Era Open, em 1968. No entanto, 2007 foi ainda pior que 2004, dado que apenas Roddick atingiu os quartos-de-final, quando no ano dos Jogos Olímpicos de Atenas, ele e Agassi o conseguiram. Como pode ver-se, é muito negro o panorama para um país que chegou a ser a super-potência do ténis mundial. E nem Donald Young, nem John Isner parecem capazes de alterar isso num futuro próximo.

Já no lado feminino, as irmãs Williams, sobretudo Venus, ainda vão salvando a honra do convento, mas não há nenhuma outra jogadora capaz de quebrar a hegemonia das tenistas de leste, que passeiam classe pelos courts.

E para agravar ainda mais a situação, nos quadros juniores, a situação é idêntica. Quando olhamos para a grelha masculina, nem um americano nos quartos-de-final; na grelha feminina, nem uma nas semi-finais. Mau demais.

 

André Sá e Marcelo Melo - Não me canso de referir que, quando vi estes brasileiros actuar no Estoril Open, achei que não havia futuro possível para esta dupla. Não obstante, André Sá e Marcelo Melo venceram o torneio e, quatro meses volvidos, somaram ainda uma presença nas meias-finais de Wimbledon e outra nos quartos-de-final deste Open dos EUA, sendo já a 15ª melhor dupla mundial. Uma parceria de sucesso.

 

publicado por Morais às 19:38
link do post | comentar | favorito

US Open - Dia 11 em imagens

Dia 11, dia dos quartos-de-final da metade inferior do quadro masculino. David Ferrer frente Juan Ignacio Chela, num duelo totalmente inesperado.

 

O espanhol voltou a exibir aquele ténis soberbo que o trouxera até ali e apurou-se, com facilidade, para as meias-finais. Djokovic que se cuide.

 

O sérvio teve de trabalhar um pouco mais, frente ao veterano espanhol Carlos Moya, mas acabou por levar a melhor também em três partidas. 6-4, 7-6(8-6) e 6-1 foram os parciais.

 

Carlos Moya ainda teve set-point na segunda partida, mas, ao desperdiçá-lo, desperdiçou também as chances que ainda tinha de vencer a partida.

 

No final, Djokovic celebrou de maneira caricata, imitando Rafael Nadal nalguns movimentos. Sempre com disposição para brincadeiras, o jovem sérvio.

 

Resultados do dia 11 - Singulares Masculinos

Ordem dos jogos do dia 12

 

p.s.: comentários incluídos nas fotos

 

publicado por Morais às 15:00
link do post | comentar | favorito

Um ano já lá vai...

Cumpriu-se esta segunda-feira, dia 3 de Setembro, exactamente um ano da retirada de uma das maiores personalidades que o ténis alguma vez conheceu: Andre Agassi. Ainda que com um considerável atraso -motivos de trabalho- não poderia deixar de recordar esse momento que por muito tempo perdurará na memória dos seus inúmeros fãs, espalhados um pouco por todo o mundo. Foi o discurso final de um grande campeão e as palavras escolhidas tocaram todos bem profundamente...

 

publicado por Morais às 02:46
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 6 de Setembro de 2007

US Open - Dia 10 em imagens

O dia abriu com duas russas em court. Chakvetadze foi a primeira a garantir apuramento para as meias-finais, ao derrotar Shahar Peer. É a primeira vez na carreria que atinge uma fase tão adiantada numa prova deste gabarito.

 

Kuznetsova foi a outra russa a qualificar-se. Vitória sobre a surpresa da prova, Agnes Szavay: 6-1 e 6-4.

 

Agnes Szavay merece uma palavra de grande apreço. Verão fantástico, que culmina com uma óptima prestação em Flushing Meadows. Muito promissor...

 

Bela vista do Arthur Ashe Stadium, num dos típicos duelos de fim de tarde.

 

No último dos encontros do dia, Nikolay Davydenko comprovou que está em excelente momento e bateu Tommy Haas sem apelo nem agravo. 6-3, 6-3 e 6-4, em mais uma vitória em 3 sets.

 

Com todos os encontros do dia a terminarem num ápice, houve que aguardar pela sessão nocturna para ver mais ténis.

 

Jelena Jankovic foi a primeira a entrar em court, ao lado de Venus Williams. Aqui sorria, mas, no final, foi Venus quem levou a melhor.

 

A norte-americana até nem começou bem: perdeu o primeiro set (6-4) e sofreu um break logo de entrada na segunda partida, mas os parciais finais (4-6, 6-1 e 7-6(7-4)) foram-lhe favoráveis. Aghora, frente a Justine Henin, procurará "vingar" a irmã.

 

Para a partida seguinte, que opunha Roger Federer a Andy Roddick, Andre Agassi regressou aos courts de Flushing Meadows, agora na condição de comentador. O retorno do campeão foi aplaudido efusivamente pela multidão.

 

Também Jimmy Connors esteve presente, sofrendo pelo seu pupilo Andy Roddick.

 

E Boris Becker, na companhia da namorada, também marcou presença.

 

Já em court, foi Federer quem dominou as atenções. O suíço derrotou Andy Roddick pela 14ª vez em 15 confrontos e está um passo mais próximo da sua 10ª final consecutiva em torneios do Grand Slam. Notável!

 

Roddick bem tentou, mas, frente a Federer, não houve solução possível.

 

Resultados do dia 10 - Singulares Masculinos; Singulares Femininos

Ordem dos jogos do dia 11

 

p.s.: comentários incluídos nas fotos

 

publicado por Morais às 02:54
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 5 de Setembro de 2007

US Open - Dia 9 em imagens

Juan Ignacio Chela está a atravessar um bom momento. Com a vitória suada sobre Stanislas Wawrinka, o argentino atinge, pela segunda vez na carreira, os quartos-de-final de um torneio do Grand Slam.

 

Carlos Moya tem feito as delícias dos espectadores. Aos 31 anos, o espanhol está a jogar um ténis fantástico, tendo derrotado o surpreendente letão Ernest Gulbis com relativa facilidade.

 

Ernest Gulbis é um nome a fixar. Certamente nos próximos tempos veremos este jovem de 19 anos em mais altos voos. Aquela vitória sobre Tommy Robredo foi qualquer coisa de impressionante!

 

Novak Djokovic tem stado igual a si próprio. Mais uma vitória, mas também muito suor...

 

David Ferrer é quem mais tem impressionado. Pouco habituado a estas andanças em provas de hardcourt, o espanhol tem exibido um ténis fenomenal, aliando potência a um incrível jogo de pés. Cuidem-se os adversários...

 

Rafael Nadal foi a vítima de Ferrer. Totalmente inesperada, ou talvez não, a derrota em 4 partidas. As lesões terão afectado o jogo de Nadal, mas até ele fez questão de atribuir todo o mérito a Ferrer.

 

Justine Henin soma e segue. Defrontou Serena Williams, pela terceira vez em quartos-de-final de torneios do Grand Slam este ano e pela terceira vez se impôs. Fantástico!

 

Resultados do dia 9 - Singulares Masculinos; Singulares Femininos

Ordem dos jogos do dia 10

 

p.s.: comentários incluídos nas fotos

 

publicado por Morais às 22:23
link do post | comentar | favorito

.Visitas

blogs SAPO