Porto

.posts recentes

. Contrastes

. Ténis espectáculo

. Actualidade

. Análise das polls - Vence...

. Aconteceu esta semana (28...

. Bolamarela - Crónica de C...

. Karatantcheva imparável

. Poll Sampras

. Fotos Open da Austrália

. Ainda o Open da Austrália...

.arquivos

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.pesquisar

 

.links

.Stats

Domingo, 6 de Janeiro de 2008

Ainda agora começou...


Moya congratula Nadal no final do épico duelo que hoje disputaram, em Chennai

E já tivemos a oportunidade de assistir a um duelo épico! Fantástica a partida que opôs os espanhóis e conterrâneos Carlos Moya e Rafael Nadal e que terminou com a vitória do segundo, por 6-7(3), 7-6(8) e 7-6(1), nas meias-finais do torneio de Chennai. Um daqueles encontros que tanto apreciamos: muito bem jogado de parte a parte, com muito público a assistir e com emoção a rodos.


Factos relevantes da partida

- A duração deste encontro (3:54h) iguala a anterior marca máxima para uma partida à melhor de três sets. Também Andrei Cherkasov e Andrea Gaudenzi jogaram durante igual período de tempo, em Tel Aviv'93, numa partida vencida por Cherkasov, por 6-7(6), 7-6(2) e 7-5.
Curiosamente, nenhum destes encontros se disputou em terra-batida, a superfície onde geralmente as "batalhas" se prolongam por mais tempo.

- Nadal converteu apenas 2 dos 17 break-points de que dispôs, ao passo que Moya lhe conseguiu quebrar o serviço nos dois jogos em que teve oportunidades para tal (com aproveitamento de 50%);

- Nadal salvou quatro match-points, todos no tie-break da segunda partida e, mais tarde, ainda se viu a braços com uma desvantagem de 3-5 na "negra";

- Moya viu quebrada a sua impressionante série de 17 tie-breaks vencidos consecutivamente numa partida decisiva. A proeza começou a ser "construída" no encontro que o opôs ao argentino Agustin Calleri, em Viena'02 (vitória por 6-3, 2-6 e 7-6(7)) e terminou com a vitória  (3-6, 7-5 e 7-6(6)) sobre Tomas Berdych, em Hamburgo'07. Uma marca que perdurará, certamente, por bastante tempo mais.


publicado por Morais às 01:30
link do post | comentar | favorito
|

.Site amigo

Bolamarela

.Visitas

.Online

hit counter
blogs SAPO